Energia & Ambiente Entrevista

BNP Paribas em Portugal reforça gestão ambiental em nome da sustentabilidade

O BNP Paribas em Portugal viu renovada a certificação ambiental obtida em 2017. Nos primeiros três anos, entre 2017 a 2019, foi possível obter uma redução de 15% no consumo de energia elétrica por colaborador; uma quebra de 66% no consumo de papel de impressão por colaborador; e menos 37% no consumo de água por colaborador.

Ações da EDPR abrem a cair 10% para 16,88 euros após aumento de capital a 17 euros

A EDPR conclui esta manhã o aumento de capital de 1.525 milhões de euros, com o preço das ações na operação a beneficiarem de um desconto de 9,3% face ao fecho de quinta-feira. As ações da ‘casa mãe’ EDP, que reduziu a participação na subsidiária de 82,6% para 75,1%, caem 2,03%.

EDP completa aumento de capital de 1,02 mil milhões, com procura de 256% da oferta

A operação foi lançada a 15 de julho para ajudar a empresa a comprar a espanhola Viesgo sem aumentar o nível de endividamento. Entretanto, os dois maiores acionistas da EDP, a China Three Gorges e a espanhola Oppidum, que têm 21,37% e 7,19%, respetivamente, já tinham anunciado que iriam acompanhar o aumento.

Shell antecipa fim da venda de veículos a combustão no Reino Unido

A petrolífera Shell considera que o Reino Unido pode proibir a venda de veículos poluentes, que consumam gasolina ou diesel, cinco anos antes do prazo proposto pelo primeiro-ministro Boris Johnson e dois anos antes do prazo admitido pelo secretário britânico dos Transportes, Grant Shapps.

EDP vai apoiar oito projetos sustentáveis e de energia renovável na África subsariana

Está previsto um financiamento de cerca de meio milhão de euros através do Fundo A2E (Access to Energy) para promover estes projetos em Moçambique, Quénia, Tanzânia, Maláui e Nigéria. 

EUA querem suspender atividade da Chevron na Venezuela

Os EUA só garantem a integridade dos ativos da Chevron na Venezuela até 1 de dezembro. O Tesouro norte-americano quer que a Chevron suspenda a sua atividade local, enquanto os EUA apertam o cerco a Nicolás Maduro. A Chevron não se mostrou disponível para sair da Venezuela, sabendo-se que os grupos russos e chineses estão interessados em desenvolver maiores atividades no petróleo venezuelano.
Ver mais artigos