Opinião

José Azevedo Pereira: “O prolongamento das moratórias deveria ser evitado”

Um prolongamento adicional das moratórias levar-nos-á a perder mais tempo e a agudizar o problema entretanto criado. Prolongará o período durante o qual não teremos consciência plena da dimensão daquilo que enfrentamos.

João Moreira Rato: “Os fundos europeus não estão desenhados para salvar empresas”

A saída das moratórias vai trazer algum malparado, bastante concentrado em alguns sectores de actividade, mas a generalidade dos bancos terá capacidade para aguentar este aumento.

Pedro Pimenta: “É necessário não comprometer o papel dos bancos como motor da recuperação”

A proatividade dos bancos vai ter um papel relevante na deteção, de forma atempada, de eventuais problemas de empresas e de particulares no que toca ao cumprimento das suas obrigações de crédito.

Alberto Ramos: “Nos últimos anos a Banca tem evoluído positivamente ao nível de liquidez e solvabilidade”

O efeito prolongado das restrições económicas associadas aos confinamentos totais, poderão ter provocado, para muitas empresas, um problema de solvabilidade que importa avaliar e atenuar com o recurso a medidas de capital e quase capital.

Juros altos?

Taxas de juro mais altas podem colocar em causa a recuperação económica. Os bancos centrais e os governos não parecem nada interessados em ter taxas de juro mais altas nos próximos tempos.

Irá o PCP sobreviver à transição digital?

O PCP terá de escolher entre tornar-se o último grande defensor do trabalho subordinado ou, pelo contrário, encarar a transição digital como uma oportunidade para libertar a sociedade deste velho paradigma.
Ver mais artigos