Ensaios

E depois do adeus

O grande desafio do centro político europeísta passa por conseguir ligar-se de novo às preocupações de crescimento económico, na condição de o fazer propondo também um novo contrato de valor para os cidadãos europeus.

As razões profundas de um não convicto

Enquanto cidadão do mundo, não posso ignorar que dos 193 países que integram a ONU, apenas seis, sim seis, resolveram legalizar a eutanásia. Só há seis países esclarecidos em 193? Devemos ignorar os resultados dramáticos da legalização nesses seis países, e achar que em Portugal tudo vai ser diferente?

Despenalizar não é querer, é respeitar

Despenalizar a eutanásia, e o suicídio assistido, não significa ser a favor da eutanásia. Mesmo nas circunstâncias restritas que vão ser discutidas e eventualmente aprovadas dia 20, o Estado não será a favor da eutanásia. Dizer o contrário é tão falso como, permita-se o paralelo, dizer que o Estado é a favor da interrupção voluntária da gravidez porque a despenalizou.

Saúde Digital, um sistema de saúde para o século XXI

Portugal tem uma dimensão adequada para pilotar uma experiência de inovação e transformação digital no setor da saúde e para atrair investimento e capital intelectual para enfrentar uma das maiores inovações do seculo XXI.

A nova ordem de poder em Angola: de José Eduardo dos Santos a João Lourenço

Quanto mais condicionalismos enfrentar a estratégia de poder de João Lourenço maior será a preservação dos interesses de certos grupos do passado. O presidente poderia evitar esses mesmos condicionalismos celebrando um novo pacto político amplo e fora da estrutura do MPLA.

O mercado de trabalho em Portugal numa nova década digital

O mundo em que vivemos, movido pela tecnologia, é repleto de promessas, mas também de desafios. A alteração do mercado de trabalho poderá implicar ajustes significativos, nomeadamente na requalificação dos trabalhadores. Em que situação se encontra Portugal?
Ver mais artigos