Ensaios

A morte como mercadoria fictícia

A morte desincrustou-se da ritualidade relacional e do simbólico e foi tomada e colonizada por um enorme aparato técnico-burocrático e mercantilizado do qual ninguém consegue escapar. A morte não só se arreda da proximidade social e pessoal como se afasta do humano.

Desigualdade de género condiciona crescimento económico

Acelerar o caminho para a equidade de género é uma variável de sustentabilidade que além de socialmente responsável e justa, é criadora de impacte económico relevante. Para as empresas e, sobretudo, para as economias.

A Bitcoin tem de ser muito mais que um meio de pagamento

Vai ser muito mais interessante quando a lei suportar a desmaterialização da informação tal como o fez com as assinaturas digitais. São assinaturas criptográficas, tal e qual como toda a informação codificada numa Blockchain. Não há que temer a palavra “cripto” porque afinal já estamos hoje rodeados de cripto-coisas.

Lugares: além das casas, o mundo

Nas nossas sociedades contemporâneas, é preciso articular de novo a experiência de mundo. Em toda a sua polissemia, o mundo que tudo inclui e o mundo singular de cada um, mundo como espaço de amizade cívica, plural, de pensamento e discussão crítica.

Inteligência artificial e aprendizagem automática: tecnologias essenciais para o aumento da produtividade

Existem poucos limites para as aplicações futuras desta tecnologia, e todas as empresas e instituições devem analisar o potencial da mesma, e estimular a formação dos seus recursos humanos nesta área, tendo em conta o seu potencial transformador.

Construir a competitividade externa

Poderá Portugal construir por si só as bases do seu desenvolvimento futuro? Certamente que não. E esta é uma das grandes ausências do PRR, onde é totalmente desvalorizada a importância do Investimento Direto Estrangeiro, que nos proporcione mais qualidade de gestão, tecnologias competitivas e mercados.
Ver mais artigos