22 concelhos unem esforços para desenvolver a região do Pinhal Interior

A iniciativa, liderada pelo município de Penela, tem por objetivos principais promover o rejuvenescimento populacional, fixar emprego qualificado, diversificar a atividade económica e valorizar os recursos florestais e naturais desta região.

Jose Manuel Ribeiro/Reuters

Um grupo de 22 concelhos decidiu unir esforços para fomentar o desenvolvimento económico e territorial do Pinhal Interior, sendo a Câmara Municipal de Penela que está a liderar a coordenação do plano de revitalização.

De acordo com um comunicado a que o Jornal Económico teve acesso, “22 concelhos do Pinhal Interior uniram esforços para definir e implementar medidas estratégicas e projetos que valorizam o território mais afetado pelos incêndios florestais de 2017”.

“A iniciativa, liderada pelo município de Penela, tem por objetivos principais promover o rejuvenescimento populacional, fixar emprego qualificado, diversificar a atividade económica e valorizar os recursos florestais e naturais do Pinhal Interior”, adianta o referido comunicado, acrescentando que “a união e colaboração entre municípios é fundamental, principalmente quando se trata de potenciar o desenvolvimento de territórios de baixa densidade”.

Os responsáveis desta iniciativa sublinham que, “em conjunto, os concelhos fizeram um diagnóstico preciso das fragilidades e potencialidades da região, e definiram e implementaram uma estratégia assente numa metodologia participativa”.

“As medidas em curso foram desenhadas em torno de três eixos: a promoção do ordenamento do espaço rústico; o reforço da segurança das populações e a proteção dos espaços florestais e o desenvolvimento de uma estratégia económica e social do território”, assinala o comunicado em questão, assegurando que “o objetivo é construir uma região aberta e policêntrica, reforçando o crescimento económico, a competitividade e a coesão social, com base numa política de desenvolvimento sustentável e de coesão territorial”.

O mesmo documento recorda que “o Pinhal Interior é uma região resiliente, empreendedora e que está focada em criar um futuro mais coeso e sustentável”.

“Os projetos visam apoiar mudanças significativas no tecido económico e social do Pinhal Interior, através de diversas ações como a reflorestação das áreas ardidas, a melhoria da gestão florestal, a implementação de modelos sustentáveis de produção florestal, captação de investimento estrangeiro para setores estratégicos para a região, aumento da acessibilidade digital, atração de novos residentes, criação de emprego, apoio a empresas e empreendedores, entre outras ações”, conclui o comunicado.

O ‘Plano de Revitalização do Pinhal Interior’ abrange uma área geográfica correspondente aos concelhos de Alvaiázere, Ansião, Arganil, Castanheira de Pêra, Figueiró dos Vinhos, Góis, Lousã, Miranda do Corvo, Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Pedrógão Grande, Penela, Tábua, Vila Nova de Poiares, Mação, Oleiros, Proença-a-Nova, Sertã e Vila de Rei e as freguesias de Almaceda, Santo André das Tojeiras, São Vicente da Beira e Sarzedas do concelho de Castelo Branco, as freguesias de Barroca, Bogas de Baixo, Bogas de Cima, Janeiro de Cima e Silvares do concelho do Fundão e as freguesias de Fratel, Sarnadas do Ródão e Vila Velha de Ródão do concelho de Vila Velha de Ródão.

Ler mais

Recomendadas

25 cidades portuguesas estão preparadas para atenuar danos das alterações climáticas

As cidades dos municípios de Águeda, Amarante, Braga, Fafe, Guimarães, Ovar, Valongo, Viseu, Funchal, Loulé, Barreiro, Cascais, Lisboa, Mafra, Sintra e Torres Vedras fazem parte do total das 148 cidades europeias que assumem boas práticas para atenuar os efeitos das alterações climáticas.

Estudo alerta para incumprimento da Convenção sobre a Diversidade Biológica por países ricos

Esta investigação dedicou-se a analisar as principais causas da perda de biodiversidade mundial e concluiu que é necessária uma “reorganização urgente e profunda” da economia global pós-pandemia da covid-19 para evitar mais danos ambientais.

David Attenborough nomeado por Londres para alertar no combate às alterações climáticas

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse que “não existe pessoa melhor para imprimir dinâmica para novas mudanças à medida que nos aproximamos” da data.
Comentários