5G: Grupo espanhol Másmóvil vai entrar no leilão português através da Nowo

A Másmóvil entrou no mercado português no ano passado, com a compra, em conjunto com a GAEA, da Cabonitel, dona da Nowo e da Oni, aos fundos da norte-americana KKR.

O grupo espanhol Másmóvil vai tornar-se acionista único da Nowo, operadora através da qual vai concorrer ao leilão de atribuição das licenças de quinta geração (5G) em Portugal, anunciou hoje a empresa.

A Másmóvil entrou no mercado português no ano passado, com a compra, em conjunto com a GAEA, da Cabonitel, dona da Nowo e da Oni, aos fundos da norte-americana KKR.

O grupo de telecomunicações espanhol informou hoje que que foi celebrado em 8 de novembro um acordo para a compra da Oni por parte da Gigas Hosting. Esta operação é na ordem dos 40 milhões de euros, de acordo com a empresa.

“A operação estará em avaliação e aprovação por parte da Autoridade da Concorrência, sendo esperado que a transição esteja completa no início de 2021”, é referido no comunicado.

“A Gigas Hosting SA passa a ter a GAEA Inversión como principal acionista, com mais de um terço das ações”, refere a Másmóvil.

A GAEA era até agora proprietária conjunta com a Masmóvil da Oni e Nowo.

“Esta operação insere-se numa lógica de direcionamento, especialização de gestão e concentração de recursos em dois mercados muito distintos: serviços a grandes empresas e operadoras e o Business To Consumer (B2C)”, salienta a operadora.

Com esta operação, a Nowo “passa a ter a Másmóvil como único acionista com 100% de participação” e este movimento “permitirá concentrar esforços de investimento tanto no futuro 5G, sendo que a Nowo participará no leilão do espectro anunciado pela Anacom na passada quinta-feira, assim como na construção da nova rede de fibra ótica em Portugal”, refere o grupo, em comunicado.

O regulamento do leilão do 5G prevê condições específicas para novos entrantes no mercado.

“Relativamente à rede fibra, este projeto já arrancou em Lisboa e no Porto, mercados prioritários para a Másmóvil, que pretende desta forma replicar a receita de sucesso do nosso país vizinho, com fortes investimentos que vão aumentar a competitividade da Nowo”, acrescenta.

Esta aquisição “surge num momento-chave para a Másmóvil, que espelha o êxito da OPA [oferta pública de aquisição] lançada sobre a operadora pela Lorca Bidco, veículo de investimento constituído pela KKR, Providence e Cinven que já alcançaram uma participação de 99,32% do seu capital, valorizando a empresa em cerca de 5.000 milhões de euros”, lê-se no comunicado.

O regulador do mercado espanhol CNMV suspendeu no passado dia 3 de novembro “a cotação das ações da Másmóvil em Espanha e espera-se a sua saída definitiva das bolsas, nos próximos dias”.

“A presença da Másmóvil e da GAEA, grupos com fortes laços nos últimos anos, irá garantir e potenciar sinergias, assim como rentabilização de custos nas operações da Oni e Nowo, que embora concorram em mercados muito distintos, poderão partilhar recursos, infraestruturas, cooperar no desenvolvimento de soluções avançadas, obtendo economias de escala e melhorias o que permitirá uma maior competitividade”.

Esta operação, adianta, “foi desenhada com um acordo-quadro que permitirá à Oni e Nowo continuarem a colaborar estreitamente no que for necessário para garantir flexibilidade e independência em ambas as operações, mas sem perder qualquer possibilidade de cooperar, para que cada empresa seja a melhor no que faz”.

Ler mais
Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Sindicato denuncia que Ryanair se prepara para despedir 23 tripulantes no Porto enquanto abre processo de recrutamento

O SNPVAC denuncia que, ao mesmo tempo que a companhia aérea avança para o despedimento coletivo, já está a realizar cursos para novos tripulantes “violando grosseiramente o Código de Trabalho”, segundo o sindicato.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários