Mais de 90% da população mundial respira ar poluído, alerta OMS

A Organização Mundial de Saúde indica que vários países em todo o mundo apresentam um número perigosamente elevado de micropartículas poluentes, responsáveis por doenças respiratórias e cardiovasculares.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que 92% da população mundial vive em áreas onde a poluição atmosférica ultrapassa os limites máximos de segurança. A Ásia, a Europa Oriental e algumas partes da África são as áreas mais afetadas.

As pesquisas desenvolvidas pela OMS mostram que em 2012 cerca de 6,5 milhões de pessoas morrem em todo o mundo devido aos elevados níveis de poluição, gerada pelo uso intensivo e preponderante de automóveis, produção de energia e a forte exploração industrial. O número corresponde a cerca de 11,6% das mortes globais, à frente das vítimas de tuberculose, SIDA e mortes na estrada.

A OMS aponta para que vários países apresentam um número perigosamente elevado de micropartículas poluentes (como nitrato, sulfato e dióxido de carbono) no ar.

Estas partículas podem depois concentrar-se no fundo dos pulmões ou mesmo entrar na corrente sanguínea, aumentando o risco de infeções respiratórias agudas e doenças não transmissíveis como AVC, cancro do pulmão e doença pulmonar crónica.

“A poluição atmosférica continua a afetar a saúde da população mais vulneráveis, especialmente mulheres, crianças e as pessoas mais idosas”, afirma Flavia Bustreo, subdiretor da OMS. “Para que as pessoas sejam saudáveis, devem respirar ar puro desde a primeira respiração até à última”.

 

Organização Mundial de Saúde (OMS)
Organização Mundial de Saúde (OMS)

 

De acordo com um mapa divulgado pela OMS os países onde a qualidade do ar é pior situam-se sobretudo no sudeste asiático, médio oriente e norte de África, onde o índice de cores é predominantemente roxo e vermelho. A Organização Mundial de Saúde diz ainda que cerca de 94% do número de mortes que ocorreram nestas áreas estavam relacionadas precisamente com os elevados níveis de poluição.

No reverso da moeda, os EUA, Canadá, Austrália, a Nova Zelândia e os países escandinavos são os países com melhor qualidade de ar.

Relacionadas

Até a neve está contaminada pelos elevados níveis de poluição na China

Níveis de poluição atmosférica em território chinês rondam os 500, quando a partir dos 100 já é considerado nocivo para a saúde.

Londres: Limite anual de poluição ultrapassado nos primeiros cinco dias de 2017

Concentração da substância contaminante “pode representar um risco grave para as pessoas que sofrem de doenças pulmonares”, aviso a representante da Fundação Britânica para o Pulmão.

China começa ano sob manto de poluição com níveis 24 vezes acima do recomendado

A China voltou a acordar envolta num manto de gases tóxicos no primeiro dia do ano. Dezenas de milhares de pessoas foram aconselhadas a permanecer em casa.
Recomendadas

Jovens entre 18 e 20 anos podem candidatar-se a 60 mil passes de interrail gratuitos

Os candidatos que ganhem um bilhete podem viajar durante 30 dias, entre março de 2022 e fevereiro de 2023, sendo que por ainda se desconhecer a evolução da pandemia, as reservas são flexíveis.

Bruxelas acusa Biden de “falta de lealdade e transparência” e exige explicações do pacto entre EUA, Austrália e Reino Unido

Charles Michel e von der Leyen consideram que existem “muitas perguntas por responder” depois de Joe Biden ter anunciado uma aliança entre a Austrália e o Reino Unido, tendo desfeito um acordo prévio entre a Austrália e a França sobre compra de submarinos. “Um dos nossos Estados-membros foi tratado de forma inaceitável, por isso queremos saber o que aconteceu e porquê”, frisou a presidente da Comissão Europeia.

Marcelo na ONU: “Conselho de Segurança deve ter presença de África, Brasil e Índia”

É um dos temas mais difíceis no interior da UNO, mas o Presidente português não quis deixar de se lhe referir. A sua intervenção foi toda ela no sentido da defesa do multilateralismo como única arma global para os problemas, que são também globais.
Comentários