A maior ameaça ambiental para a sua saúde? O ar que respira

A poluição do ar tem sido associada diretamente ao desenvolvimento inicial do cérebro humano. A poluição do ar é um assassino invisível, diz um estudo universitário.

É sabido que a poluição do ar é perigosa para os seres humanos, mas um relatório recente sobre a matéria fornece um cenário bem mais negro que aquele a que a generalidade das pessoas está habituada, transformando a poluição do ar numa espécie de assassino invisível. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que sete milhões de mortes prematuras por ano podem estar ligadas à poluição do ar: milhares de pessoas morrem todos os anos nos Estados Unidos devido à exposição a partículas lançadas na atmosfera pelas fábricas. De acordo com o novo Índice de Desempenho Ambiental 2018 (EPI), a poluição do ar é a maior ameaça ambiental à saúde pública.

O novo relatório é produzido por cientistas das universidades de Yale e Columbia em colaboração com o Fórum Económico Mundial e classifica 180 países sob 24 indicadores de desempenho em 10 categorias de questões, que se centram em torno da saúde ambiental e da vitalidade do ecossistema. No topo da lista está a Suíça, seguida pela França, Dinamarca, Malta e Suécia. No final da lista estão a Índia, Bangladesh, Burundi, República Democrática do Congo e Nepal.

O EPI mostra que a poluição do ar é a principal ameaça para a saúde pública. O objetivo não é assustar o público, mas dará entender que o problema tem o potencial de afetar verdadeiramente as pessoas. E as políticas, que servem, ou deviam, para as defender.

“À medida que a comunidade mundial persegue novos objetivos de desenvolvimento sustentável, os decisores políticos precisam de saber quem lidera e quem está atrasado nos desafios ambientais e de energia”, disse Daniel C. Esty, diretor do Yale Center for Environmental Law & Policy, num comunicado de imprensa citado pela CNN.

“O EPI de 2018 confirma que o sucesso em relação ao desenvolvimento sustentável requer progresso económico, que gera recursos para investir em infraestruturas ambientais, e uma gestão cuidadoso da industrialização e urbanização”.

A poluição do ar tem sido associada diretamente ao desenvolvimento inicial do cérebro. Pode causar efeitos graves e assustadores para a saúde nos seres humanos e, à medida que a população mundial continua a aumentar, é provável que apenas piore se não forem feitos esforços mais drásticos.