A necessidade de eliminar o desperdício na Saúde

Segundo as noticias que têm vindo a público, a proposta de orçamento do Estado para 2018 contempla 10.289 milhões de Euros para a Saúde, mais 2,4% face à despesa real estimada para 2017.

Chip East / Reuters

Não obstante uma maior dotação orçamental, há a consciência, nas palavras do Ministro da Saúde, de que é necessário racionalizar e premiar as boas práticas. Apesar de uma maior dotação orçamental, é certo e sabido que continua a não chegar para fazer face às necessidades do SNS.

Sobre os sistemas de saúde em todo o mundo é afirmado que sofrem todos de ineficiências. Não há dúvida que o sistema de saúde em Portugal não é exceção.

Diferentes estudos sobre vários sistemas de saúde apontam para montantes elevados de desperdício na ordem dos 20% a 40% dos custos. Já em 2011, no relatório do Grupo Técnico para a Reforma Hospitalar, se estimava a possibilidade de reduzir os custos do SNS em 10%. Mais recentemente, um relatório da OCDE de 2017 apresentado em Londres aborda especificamente o desperdício na saúde.

Mas como eliminar então o desperdício? Utilização de software de robotização, reorganização do trabalho, eliminação de consumos de bens e serviços desnecessários, adequação das especialidades disponibilizadas, etc., são apenas alguns exemplos de áreas onde se pode combater o desperdício e com impacto no curto prazo.

Portugal tem uma população cada vez mais envelhecida e também cada vez mais necessitada e exigente relativamente aos cuidados de saúde. E esta realidade tem-se refletido na crescente despesa em saúde (atualmente em cerca de 10.000 milhões de despesa corrente pública e cerca de 6.000 milhões de despesa corrente privada), com um sector de saúde público caracterizado por uma situação deficitária crónica.

E então o que se pode fazer? Análises, estudos e relatórios não têm faltado. Neste contexto de pressão financeira, as gestões dos hospitais do SNS esforçam-se por encontrar soluções criativas para controlar custos, enquanto mantêm a qualidade, procuram satisfazer os utentes e reter o talento dos profissionais nos seus serviços. A eliminação do desperdício é uma preocupação que está na agenda da gestão hospitalar. Falta passar à ação e o quanto antes. A bem de todos.

Ler mais
Recomendadas

Como ativar uma arquitetura de inovação empresarial

Assegurar o futuro é um desafio empresarial basilar. No contexto atual de mudança acelerada, a inovação é uma competência crítica para garantir o futuro e responder a objetivos de crescimento cada vez mais exigentes.

Lutar contra a corrupção para proteger

A luta contra a corrupção é essencial para muitas empresas, nomeadamente se implantadas em países com um quadro legislativo importante nesta área (EUA, UK, Brasil, Espanha, Itália, França, etc.).

Dados, análise e personalização como fator de competitividade

Muitas empresas estão hoje empenhadas em fixar preços de forma dinâmica ou seja, pessoas diferentes pagam preços diferentes pelo mesmo produto ou serviço mas esta prática deve ser acompanhada também de um ajuste das experiências que se oferecem aos clientes, com base na informação recolhida, muitas vezes em tempo real, tratando-os de forma personalizada.
Comentários