A transformação digital no turismo já é uma realidade

A tecnologia veio para ficar e é um grande aliado na procura de soluções inovadoras que garantam experiências únicas a quem viaja, mas acredito que o fator humano no Turismo continuará a fazer a diferença.

A sociedade tem vindo a experimentar uma revolução digital que mudou para sempre a nossa forma de estar, comunicar e percecionar o mundo. O avanço da tecnologia e as ferramentas que daí surgem e que, na sua grande maioria, estão à disposição de todos, são cada vez mais capazes e mais rápidas. O digital chegou para ficar e tem mudado o paradigma de vários setores de atividade. O turismo e as viagens não são exceção, muito pelo contrário.

O impacto do digital nos diferentes setores de atividade avança a uma velocidade nunca antes vista. Todos os dias surgem novas plataformas online, aplicações ou outras ferramentas digitais. Isto sem falarmos nos milhares de atualizações que são feitas às tecnologias já existentes e que aportam novidades e melhorias no seu funcionamento, quase diariamente.

Costumo dizer que viajar tornou-se numa verdadeira commodity. Temos vindo a assistir a uma evolução que tornou o setor do turismo cada vez mais acessível a todos, com as viagens a serem cada vez mais frequentes na vida das pessoas. Todo este crescimento vertiginoso não teria sido possível sem a ajuda preciosa das ferramentas digitais.

A forma como consumimos informação mudou e nós, enquanto players do setor, não podemos fugir a este novo paradigma. Os viajantes procuram e compram viagens pela web. O check-in de uma viagem é efetuado online para boa parte dos passageiros e a maioria deles já utiliza um bilhete digital. O setor do Turismo já oferece experiências virtuais de viagens, garante a mobilidade e portabilidade da informação, incorpora soluções de inteligência artificial e o boom das redes sociais faz mais pela promoção de alguns destinos que muitas campanhas tradicionais.

Estes factos não passam despercebidos aos profissionais desta área e, por isso mesmo, a Organização Mundial do Turismo (OMT) decidiu chamar o setor para a reflexão sobre a importância que as tecnologias digitais representam para o crescimento sustentável da indústria, assinalando o Dia Mundial do Turismo, celebrado a 27 de setembro, com o tema “Turismo e a transformação digital”.

Em Portugal, o Turismo assume-se como o principal motor da economia, pelo que temos de garantir que continua a crescer de forma sustentada. Para tal, devemos ter em conta os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, de forma a que seja possível garantir um desenvolvimento contínuo e inclusivo no setor e a perceção do impacto económico, social e ambiental decorrente da aplicação de novas tecnologias no turismo.

O Turismo é um setor efetivamente avançado tecnologicamente, muitas vezes líder e pioneiro no desenvolvimento e aplicação de tecnologia em prol das necessidades não só dos viajantes, como também das empresas e de todos os profissionais que o integram, como é o caso dos agentes de viagens que trabalham diariamente para oferecer as soluções mais vantajosas e personalizadas aos clientes.

Tal só é possível graças ao grande avanço das ferramentas digitais que têm disponíveis e que lhes permitem conhecer melhor o perfil dos seus clientes, encontrando respostas mais ajustadas às suas expectativas e, consequentemente, gerando também uma maior fidelização. A tecnologia veio para ficar e considero-a um grande aliado na procura de soluções inovadoras que garantam experiências únicas a quem viaja, mas acredito que o fator humano no Turismo continuará a fazer a diferença.

Recomendadas

O que os bancos centrais não perceberam sobre as Central Bank Digital Currencies

Quando se cita Portugal como ‘hub’ de inovação da blockchain, ignora-se por completo o facto de só o ser pelas isenções fiscais, e não pelo enquadramento regulatório favorável e facilitador.

SEF: a “cangalhada” de Eduardo Cabrita

O SEF não pode ser objeto de um estrangulamento propositado, só porque está sob a alçada de um ministro que é “amigo do primeiro-ministro”, mas é inimigo da coisa e da causa pública.

Mais um dia… de violência

Este é um pedido, um alerta: esteja atenta/o aos sinais, aos sons, aos olhares, aos pedidos de ajuda sem palavras. Se se aperceber de algum caso de violência, não hesite e denuncie. Se vive em contexto de violência, peça ajuda.
Comentários