Abanca finaliza compra do Bankoa

“Depois das autorizações finais do Banco Central Europeu e da Comisión Nacional del Mercado de Valores, o processo de compra do Bankoa, anteriormente detido pelo Crédit Agricole, ficou concluído hoje”, anunciou o Abanca, em comunicado.

Juan Carlos Escotet Rodríguez, presidente do Abanca

O Abanca concluiu esta quinta-feira o processo de aquisição do Bankoa, banco espanhol com uma operação maioritariamente concentrada no País Basco.

A conclusão da aquisição surge na sequência das autorizações dos reguladores, incluindo do Banco Central Europeu (BCE), e da Comissão Nacional do Mercado de Valores espanhola.

“Depois das autorizações finais do Banco Central Europeu e da Comisión Nacional del Mercado de Valores (CNMV), o processo de compra do Bankoa, anteriormente detido pelo Crédit Agricole, ficou concluído hoje”, anunciou o Abanca, liderado por Juan Carlos Escotet e Francisco Botas, em comunicado divulgado esta quinta-feira.

Comprando o Bankoa ao francês Credit Agricole, o Abanca terá um um volume de negócios superior a 93 mil milhões de euros e passará a ter mais 33 agências bancárias.

O Abanca “aumenta, assim, o volume de negócios em 4.267 milhões de euros, (1.754 milhões de euros em crédito a clientes, 1.496 milhões de euros em depósitos e 1.017 milhões de euros em fundos fora do balanço), para os 93.850 milhões de euros. A rede comercial conta com mais 30 agências e 3 centros de empresas situados sobretudo em Euskadi, mas também em Navarra, La Rioja e Madrid, e soma mais de 40 mil novos clientes, entre particulares e empresas”, adianta o comunicado.

“A aquisição do Bankoa inclui a celebração de um acordo comercial de âmbito internacional entre o Abanca e o Crédit Agricole, no qual cada uma destas entidades se compromete a ser parceiro de referência e preferencial nos países onde apenas uma delas opere”, lê-se no documento.

Esta quinta-feira já teve lugar o primeiro conselho de administração do Bankoa, que agora estará inserido dentro do Grupo Abanca, sendo que, para os clientes do Bankoa, a operação “não pressupõe nenhuma alteração operacional que manterão as condições dos seus contratos”.

O negócio iniciou-se em julho de 2020 e, na altura, o Abanca referia que o processo de integração só se faria depois das autorizações dos reguladores. Por isso, o processo de integração do Bankoa no Grupo Abanca inicia-se “agora”, passando a estar inserido na plataforma do banco de Juan Carlos Escotet.

Relacionadas

PremiumHaitong, Abanca e ‘Cajas’ na corrida ao Novo Banco Espanha

O Haitong Bank e o Abanca querem comprar a totalidade da operação espanhola. Já as ‘cajas’ pretendem apenas balcões. Autorizações empurram conclusão da venda para junho.

Abanca com lucros de 143 milhões de euros após reforçar provisões em 211 milhões

A carteira de empréstimos tem um maior peso de setores menos vulneráveis à pandemia e está maioritariamente baseada na Galiza, que o Abanca diz que é uma região com maior resiliência à crise.
Recomendadas

Maiores bancos fecham primeiro semestre com menos 240 agências e 1.474 trabalhadores

Os cinco maiores bancos a operar em Portugal perderam 240 agências e 1.474 trabalhadores entre o primeiro semestre de 2020 e o mesmo período deste ano, segundo contas da Lusa com base nos dados divulgados pelas instituições.

Sete anos de resolução do BES: o que foi decidido?

O fim do Banco Espírito Santo foi decretado a 3 de agosto de 2014 por Carlos Costa, ex-Governador do Banco de Portugal. Conheça o que foi decidido nessa data em que o banco central colocou fim à instituição centenária fundada pela família Espírito Santo, considerada a última dinastia de banqueiros em Portugal.

Dos custos do Novo Banco às injeções de milhões. Sete anos depois, o que sobra da resolução do BES?

Os cálculos do Jornal Económico revelam que a capitalização do banco hoje liderado por António Ramalho somam 11.578 milhões de euros.
Comentários