Abanca reduz lucros em 47% para 133 milhões de euros

Juan Carlos Escotet referiu que o Abanca desistiu definitivamente do EuroBic, “mas que continua muito atento e interessado em crescer em Portugal e atento a oportunidades”, pois Portugal é um mercado importante para o banco espanhol. Abanca constituiu imparidades no valor de 163 milhões de euros devido à pandemia da Covid-19.

O Abanca apresentou os seus resultados semestrais em Espanha, numa conferência de imprensa por zoom, em que anunciou um lucro semestral de 133,1 milhões de euros, depois de ter constituído imparidades Covid-19, de 163 milhões de euros. Este resultado traduz uma queda de 47% face a junho do ano passado.

A rentabilidade dos capitais próprios (ROE) do banco espanhol ficou em 5,7%

Numa apresentação atribulada pelas falhas técnicas, a apresentação foi levada a cabo pelo Presidente do Conselho de Administração Juan Carlos Escotet e pelo CEO, Francisco Botas, reportou uma subida da margem financeira alargada de 15%, “com o contributo da intermediação e dos serviços”. A margem financeira estrita subiu 11,2% face ao período homólogo, enquanto as comissões subiram 25,9%, impulsionado pelos serviços fora do balanço (ex-gestão de fundos, etc), cujas receitas de comissões subiram 31,7%

Com as receitas core a subirem e os custos de exploração estáveis (excluídos os efeitos das integrações, o rácio de eficiência melhorou para 56,2%.

O banco tem uma carteira de crédito de boa qualidade, pois o rácio de NPE, Non-Performing Exposure, está em 2,7% do total da carteira.

A constituições de imparidades no semestre pôs o custo do risco de crédito nos 0,68%. Estas provisões de 162,8 milhões incluem 57 milhões destinados a cobrir “todo o efeito potencial da deterioração macroeconómica da carteira de crédito de acordo com os modelos de perda esperados do banco”.

O banco refere que o ativos problemáticos  registaram uma queda homóloga de 6,9%, e realça “o sólido perfil financeiro”. “Tanto no rácio de ativos improdutivos de 4,5%, como no rácio Texas de 31,6%”.  O Texas ratio (Rácio Texas) é uma medida do risco de crédito de um banco, quanto maior o rácio maior o risco da carteira de crédito.

O volume de negócios (crédito e recursos de clientes) subiu 12,8%, graças ao crédito a clientes que aumentou 15,6% para 37,9 mil mihões de euros e à captação de recursos que cresceu 11,6% para 49,7 mil milhões.

Na semana passada o espanhol Abanca anunciou que está a negociar e já assinou um acordo preliminar com o Grupo Crédit Agricole para a compra das ações que detém no Bankoa. Com a compra, o Abanca adquire o negócio bancário de retalho do Crédit Agricole em Espanha e reforça o seu posicionamento no País Basco.

Questionado na conferência de imprensa sobre o crescimento por aquisições em Portugal, Juan Carlos Escotet referiu que o Abanca desistiu definitivamente do EuroBic, “mas que continua muito atento e interessado em crescer em Portugal e atento a oportunidades”, pois Portugal é um mercado importante para o banco espanhol.

Ler mais
Recomendadas

“Caixa opera com margens de 1% a 2% contra 15% do gel desinfetante”, diz Paulo Macedo

O presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos considera que o banco público está apto para financiar pequenas, médias ou grande empresas. “Ao longo dos últimos anos, a Caixa e os seus trabalhadores trabalharam para dobrar o nosso Bojador”, afirmou.

Montepio Crédito expande crédito ao consumo na plataforma digital

O Montepio Crédito reforçou a sua aposta no digital e lançou o crédito para aquisição de material escolar e informático na sua plataforma mycreditech, numa altura em que as aulas por meios digitais ganharam relevância.
antónio_costa_silva_partex_4

Chairman da CGD elogia Costa e Silva: “Assumiu sozinho um trabalho para o qual qualquer outra pessoa teria pedido orçamentos”

Emílio Rui Vilar, presidente do conselho de administração da Caixa Geral de Depósitos, referiu que o conselheiro do Governo é “muito mais que um académico e gestor”. “Creio que a qualidade do seu trabalho merece uma sequência”, avisou.
Comentários