Acionistas da Pharol poderão votar destituição de Nelson Tanure na assembleia extraordinária de 18 de dezembro

Pharol quer reduzir os números mínimo e máximos dos membros do conselho de administração. Em caso de aprovação, acionistas vão deliberar de seguida sobre a distituição com efeitos imediatos de Nelson Tanure, de Aristóteles Vasconcellos Drummond e de Jorge Augusto Santiago das Neves de membros do conselho de administração.

Luís Palha da Silva, CEO da Pharol

A Pharol convocou uma assembleia geral extraordinária de acionistas, marcada para o dia 18 de dezembro, que poderá culminar com a destituição imediata de vários administradores da antiga PT, entre os quais, Nelson Tanure.

Em comunicado divulgado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a empresa liderada por Luís Palha da Silva explicou que estarão dois pontos em agenda da ordem de trabalhos.

O primeiro, visa reduzir os “números mínimo e máximo de membros do conselho de administração da sociedade”, alterando o nº1 do artigo 18º dos estatutos da Pharol. Caso aprovada, o nova redação deste preceito será “O conselho de administração é composto por um mínimo de três e um máximo de sete membros”.

Atualmente, os estatudos da Pharol prevêem que o conselho de administração é comporto por um mínimo de nove e um máximo de onze membros.

De acordo com a informação disponibilizada na página oficial da internet da empresa, integram o conselho de administração da Pharol, Luís Palha da Silva, que é cumulativamente o presidente do conselho de administração e o administrador delegado. Há depois nove admistradores: Jorge Freire Cardoso, Bryan Schapira, Maria do Rosário Correia, Pedro Morais Leitão, Avelino Cândido Rodrigues, Maria Leonor Modesto, Aristóteles Vasconcellos Drumond, Jorge Augusto Santiago das Neves e Nelson Tanure.

No entanto, estes três últimos administradores da Pharol poderão ser destituídos dos seus cargos na assembleia geral extraordinária.

Caso a redução dos números mínimo e máximos para a composição do conselho de administração da Pharol seja aprovada, os acionistas vão deliberar “sobre a destituição, com efeitos imediatos, de Nelson Sequeiros Rodriguez Tanure, de Jorge Augusto Santiago das Neves e de Aristóteles Luiz Menezes Vasconcellos Drummond, de membros do conselho de administração da sociedade”, lê-se na convocatória da assembleia geral extaordinária de acionistas.

A assembleia está marcada para o dia 18 de dezembro, a partir das 10h30, no auditório do Museu Arpad Szenes – Vieira da Silva, na Praça das Amoreiras, nº 56.

Caso a assembleia não puder deliberar sobre um dos dois pontos em agenda da ordem de trabalhos por falta de representação do capital exigido, os acionistas da Pharol estão convocados “para reunirem, em segunda convocatória e no mesmo local, pelas 10h30 do dia 8 de janeiro de 2020, com idêntica ordem de trabalhos”.

 

Ler mais
Recomendadas

Antonoaldo Neves: Quem vai pagar os prejuízos da TAP com a suspensão de 90 dias nos voos para a Venezuela?

A suspensão da TAP nos seus voos para a Venezuela representam prejuízos de pelo menos 10 milhões de euros, referiu o presidente executivo da TAP no final da conferência de imprensa de apresentação dos resultados de 2019.

Efacec assegura que “reúne todas as condições” para pagar salários e a fornecedores

Empresa afasta qualquer cenário de incumprimento, após Isabel dos Santos, que detém perto de 70% da Efacec, ter alertado hoje em comunicado de que o congelamento de contas das suas empresas se estende ao bloqueio de ordens de pagamento de salários, impostos a fornecedores e à Segurança Social.

Segunda fase da mudança da faixa da TDT arranca dia 24 de fevereiro

A segunda fase do processo de levantamento da rede TDT da faixa que será ocupada pelo 5G abrange os distritos de Évora, Beja e Setúbal.
Comentários