“Ações do presidente violaram seriamente a constituição”. Pelosi abre caminho para votação de impeachment a Trump

Nancy Pelosi refere que ficou claro após dois meses de investigação que Donald Trump “violou o seu juramento” e pressionou uma potência estrangeira para o “ajudar nas eleições de 2020”.

A presidente da Câmara dos Deputados, Nancy Pelosi anunciou esta quinta-feira, 5 de dezembro que a Câmara dos Deputados vai começar a preparar os artigos de impeachment contra o presidente dos Estados Unidos Donald Trump, para que a votação possa ser levado a cabo ainda antes do Natal, conta o “The New York Times”.

“A nossa democracia está em jogo. O presidente não nos deixa escolha a não ser agir, porque ele está a tentar corromper, mais uma vez, a eleição para o seu próprio benefício”, afirma Nancy Pelosi.  Este anúncio surge um dia depois que o Comité de Justiça da Câmara dos Deputados ter iniciado um processo formal de impeachment contra Donald Trump.

Esta decisão surge na sequência de uma investigação de dois meses dos democratas no Comité de Inteligência da Câmara que concluiu que Trump abusou do seu poder para pressionar o presidente Volodymyr Zelensky, da Ucrânia, a anunciar investigações sobre o ex-vice-presidente Joseph R. Biden Jr. e outros democratas.

“Os fatos são incontestáveis. O presidente abusou de seu poder para o seu benefício político pessoal, às custas da nossa segurança nacional”, referiu Nancy Pelosi.

Donald Trump, 73 anos, é suspeito de ter pressionado o Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, a investigar uma empresa ucraniana da qual foi administrador o filho do ex-vice-presidente Joe Biden, dado como favorito a concorrer pelos democratas nas eleições de 2020, em troca de uma ajuda militar dos EUA.

O 45.º Presidente norte-americano, em funções desde 20 de janeiro de 2017, qualificou esta investigação como uma “caça às bruxas”.

Ler mais
Recomendadas

André Ventura pede a demissão de Eduardo Cabrita por palavras “gravíssimas”

Para o deputado único do partido recém chegado ao parlamento, as declarações de Eduardo Cabrita foram “gravíssimas e desprovidas de sentido” e recordou que, “num primeiro momento”, o Governo chegou a “negar a veracidade” daquilo que tinha sido referido por André Ventura, ou seja, a aquisição de material de segurança por parte das forças policiais.

Só “por algum ato milagroso” relações serão retomadas entre Livre e Joacine, realça nova direção do partido

“Se por algum ato milagroso houver uma mudança de atitude por parte da deputada Joacine Katar Moreira obviamente que trabalharemos” com a única representante do partido no parlamento, afirmou Pedro Mendonça, em declarações aos jornalistas no final do IX Congresso do Livre.

“Desfaçatez e falta de respeito”. PSD repudia declarações de Eduardo Cabrita sobre equipamento da PSP

Em causa estão declarações do ministro numa entrevista hoje divulgada ao Diário de Notícias e à TSF, na qual Eduardo Cabrita é questionado sobre as notícias que dão conta de agentes policiais “que compram equipamento de proteção do seu próprio bolso”.
Comentários