ACS e Atlantia garantem aquisição da concessionária espanhola de auto-estradas Abertis

Oferta Pública de Aquisição (OPA) da ACS, através da filial alemã Hochtief, foi aprovada por 85,6% dos acionistas da Abertis. Sucesso da operação estava condicionada à aceitação mínima de 50%, mas não alcançou a meta de 90% que ativaria o procedimento de venda forçada das restantes ações.

As empresas ACS e Atlantia vão assumir o controlo da Abertis, concessionária espanhola de auto-estradas. A Oferta Pública de Aquisição (OPA) lançada pela ACS, através da sua filial alemã Hochtief, foi aprovada por 85,6% dos acionistas da Abertis. O sucesso da operação estava condicionado à aceitação mínima de 50%, mas não alcançou a meta de 90% que ativaria o procedimento de venda forçada das restantes ações da empresa.

De acordo com o jornal “El Economista”, o resultado da OPA vai traduzir-se numa operação que deverá prolongar-se até meados de setembro. “A empresa terá que convocar uma assembleia geral extraordinária de acionistas para aprovar a exclusão do capital que não aceitou a oferta da Hochtief. Se mais de 90% do capital tivesse dado o aval à operação, o calendário seria agora mais acelerado, na medida em que a Hochtief poderia implementar a exclusão obrigatória”, salienta o jornal espanhol.

Em janeiro, o Governo espanhol tinha dado autorização à Hochtief (filial alemã da construtora espanhola ACS) e à Atlantia (grupo empresarial italiano) para comprarem a Abertis. Em maio de 2017, a Atlantia tinha lançado uma OPA amigável sobre 100% do capital da Abertis a um preço de 16,5 euros por ação. Em outubro foi a vez da Hochtief apresentar uma OPA concorrente, a 18,76 euros por ação.

Quando a OPA for concluída, a Hochtief vai transferir o capital para um veículo que será controlado da seguinte forma: 50% mais uma ação para a Atlantia, 30% para a ACS e 20% menos uma ação para a Hochtief. Segundo o “El Economista”, o passo seguinte será a subscrição integral pela ACS de um aumento de capital de 915 milhões de euros da Hochtief. Posteriormente, a ACS venderá 24,1% da empresa alemã à Atlantia. Em suma, a italiana Atlantia tornar-se-á o segundo maior acionista da ACS.

Recomendadas

Receita fiscal sobe para 47.408 milhões de euros

Em ano de excedente orçamental, o Governo espera receber mais 1.276 milhões de euros do que em 2019. As receitas do IVA continuam a representar a principal fatia dos 26.878 milhões de euros estimados para os impostos indirectos.

Orçamento com poucas alterações

Para as famílias portuguesas, e em matéria de IRS, a Proposta de Lei do OE 2020 não contempla alterações com um impacto significativo.

Jaime Esteves: “Dedução fiscal para jovens que saem de casa dos pais tem impacto pequeno”

O fiscalista Jaime Esteves defende que o agravamento sucessivo da tributação do alojamento local é um dos problemas da política fiscal e que Portugal pode matar a ‘galinha dos ovos de ouro’ da recuperação económica.
Comentários