ACT reforça quadro com novos inspetores de trabalho

A entrada de novos inspetores visa num “esforço de ampliação do seu quadro de inspetores”, constituindo um suporte fundamental para proceder à melhoria das condições de trabalho e do combate à sinistralidade laboral.

Cristina Bernardo

A Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) procedeu ao recrutamento de novos inspetores do trabalho, dando as boas vindas a 128 novos membros na próxima segunda-feira, 16 de setembro.

“A entrada destes novos inspetores constitui suporte fundamental para o cumprimento da missão da ACT, nomeadamente no âmbito da melhoria das condições de trabalho e da redução da sinistralidade laboral”, sustenta o comunicado oficial divulgado à imprensa.

A entrada de novos inspetores visa num “esforço de ampliação do seu quadro de inspetores”, sendo este um fator de desenvolvimento organizacional, constituindo um suporte fundamental para exercer a missão que está confiada à ACT “de forma competente e qualificada”, para que se proceda à melhoria das condições de trabalho e do combate à sinistralidade laboral.

A ACT visa a promoção da constante melhoria das condições de trabalho em todo o território continental através da fiscalização do cumprimento das normas em matéria laboral e do controlo do cumprimento da legislação de segurança e saúde no local de trabalho.

Recomendadas

PremiumFornecedores ganham margem negocial sobre grandes superfícies

Diploma impede distribuição de tirar de forma unilateral dinheiro de contas-correntes com fornecedores. “Era uma prática aberrante”, diz a Centromarca.

Lesados do BES. António Costa “disse que acabou. Não há mais dinheiro”

Uma organizadora do movimento dos emigrantes lesados do BES em França contou hoje à Lusa que o primeiro-ministro, António Costa, lhe disse que não haveria mais dinheiro para além do que já foi acordado.

Trabalhadores da General Motors em greve a partir de segunda-feira

O sindicato United Auto Workers (UAW), o maior do setor automóvel, marcou hoje uma greve que abrange os cerca de 48 mil trabalhadores do gigante norte-americano General Motors (GM) na primeira paralisação em 12 anos.
Comentários