Adeus ao combustível: Japão dá a conhecer os carros do futuro

Os principais fabricantes de automóveis do Japão vão apresentar as versões futuristas de automóveis no Tokyo Motor Show, que tem início esta quarta-feira. Nissan, Toyota e Honda são três das marcas presentes.

Numa altura em que a longa reputação relativa aos carros fabricados no Japão foi danificada, a feira de automóveis bienal, Tokyo Motor Show, pretende dar a conhecer ao público os modelos de automóveis mais inovadores dizendo, assim, um adeus definitivo ao combustível.

A aparente indestrutível notoriedade dos fabricantes de automóveis japoneses sofreu recentemente uma rutura. A Nissan Motor Co., acaba de anunciar planos para suspender a produção local de automóveis e está sob escrutínio depois de admitir que usou inspetores de segurança não autorizados. O fornecedor da indústria automóvel Kobe Steel Inc., tem procurado forjar dados relativos ao alumínio e outros materiais que remetem para décadas anteriores. A Takata Corp., cujas bolsas de ar que explodiram foram objeto da maior recolha da história da indústria automóvel, apresentou falência em junho.

De acordo com o site de notícias Bloomberg, até mesmo a feira de automóveis que ocorre de dois em dois anos revelou problemas. O presidente da Nissan, Hiroto Saikawa, cedeu a presidência da Associação de Fabricantes de Automóveis do Japão há duas semanas para lidar com a crise na sua empresa, obrigando o presidente da Toyota Motor Corp., Akio Toyoda, a intervir de repente como superintendente do Tokyo Motor Show.

Os fabricantes de automóveis japoneses vêm o Tokyo Motor Show como uma montra para publicitar as suas mais recentes tecnologias, desde carros com hidrogénio até aos últimos modelos de veículos elétricos redesenhados com gamas de condução mais longas.

“Os recentes escândalos estão derramando água fria na feira automóvel deste ano e o impacto é muito negativo”, disse o analista de automóveis Ken Miyao na consultoria Carnorama. “O show de Tóquio é um grande evento orientado para o consumidor e não ficarei surpreendido se alguns consumidores privados se afastarem este ano”.

As ações da Nissan caíram 7% este ano em comparação com um ganho de 2,2% para a Toyota. A Nissan baixou 0,4 por cento, na terça-feira, enquanto a Toyota subiu 0,7%.

A Nissan – que detém o título de líder global em vendas de veículos elétricos – mantém o seu produto de marca para o Tokyo Motor Show em segredo. O veículo “incorpora o futuro da Nissan Intelligent Mobility”. Isto inclui eletrificação, condução autónoma e mais.

A versão desportiva de automóveis da Nissan, a NISMO, também está a preparar um modelo para a feira – Leaf 2018 – totalmente eléctrico, proporcionando aerodinâmica e suspensão melhoradas e adicionando riscas vermelhas florescentes dentro e fora. Esta nova versão mantém a gama de 400 km do modelo base, que foi lançado apenas no mês passado para competir com o mercado do modelo 3 da Tesla Inc. O carro de Elon Musk – Tesla Killer – tem quase 50% mais de alcance do que o Leaf, mas o preço é mais elevado.

Toyota, um longo campeão do conceito do carro a hidrogénio, apresentará um veículo alimentado a combustível que possui 50% mais de alcance do que o atual Mirai Sedan a hidrogénio, num impulso tecnológico que desafia uma crescente onda de veículos com bateria.

Ao colocar os motores nas rodas e ao mover essas rodas para os cantos extremos do veículo, a Toyota maximizou o tamanho da cabine para que o veículo assuma seis pessoas em três filas, apesar de ter o mesmo comprimento que o novo Camry. O conceito deste tipo de automóvel é apelidado de “Fine-Comfort Ride”, e no modo de condução autónoma, os assentos podem girar para que todos se estejam frente a frente transformando o carro numa mini sala de reuniões em andamento.

O maior fabricante do Japão também mostra o seu assistente de condução no carro, apelidado de Yui. Com base em tecnologia de inteligência artificial, Yui servirá como co-piloto e navegador que ao longo do tempo lerá as emoções de um motorista e antecipará as suas necessidades, tanto quando estiver a conduzir um carro ou acelerando ao longo da calçada no dispositivo de Segway, que a Toyota vai estrear no Tokyo Motor Show.

A Honda Motor Co. é quase tão misteriosa como a Nissan sobre o produto principal a ser revelado no show. O Honda Sports EV Concept, previsto para a estreia desta semana, é um veículo desportivo alimentado por bateria, construído na mesma plataforma EV especializada, como o Honda Urban EV Concept revelado na última feira automóvel de Frankfurt, que está programado para venda na Europa em 2019. Tal como a Toyota, a Honda irá incluir um portador de energia artificial nos seus modelos.

A Honda relembra que também fabrica motociclos, para que o público não se esqueça da estreia mundial do Honda Riding Assist-e. Estes motociclos podem chegar até ao condutor de forma autónoma quando o mesmo chamar. Esta moto funciona, na verdade, como um primo do robô humanóide Asimo, usando a mesma tecnologia de equilíbrio automático.

Alguns analistas vêem as inovações como a confirmação de que os fabricantes japoneses ainda são setores de influência quando se trata de tecnologia automóvel. “Se olharmos para algumas das principais tecnologias em EVs, como materiais de bateria, o Japão ainda tem uma presença notável”, disse Mitsuo Shimizu, do Japan Asia Securities Group. “Eu não acho que a indústria automobilística do Japão está perdida. Continua a ser muito competitiva. “, concluiu.

Já Ken Miayo, analista de automóveis explicou que “em comparação com as feiras de Xangai ou Frankfurt deste ano, onde os fabricantes de automóveis chineses e alemães mostraram uma ampla gama de exposições EV, acho que o Japão está atrasado na competitividade EV”. “Estou preocupado com o setor automobilístico do Japão poder ficar para trás dos rivais estrangeiros no longo prazo”, admitiu Miayo.

Recomendadas

Amazon lança zona para tecnologia cloud em Portugal

O líder tecnológico da Amazon, Werner Vogels, anunciou esta quinta-feira que Portugal é dos 21 países nos quais a empresa de computação na nuvem do grupo vai instalar uma “AWS local zone” no próximo ano.

Apple avisa fornecedores que a procura por iPhones está em queda antes do Natal

A Apple projetava um forte trimestre encerrado em dezembro, mas espera-se que não haja procura, disse o presidente-executivo Tim Cook numa conferência de resultados da empresa em outubro.

Andres Ortolá vai ser o novo diretor-geral da Microsoft Portugal

A diretora-geral da Microsoft Portugal nos últimos cinco anos, Paula Panarra, será a nova diretora global de vendas de Business Applications para o segmento de Retalho e Bens de Consumo.
Comentários