Adidas e Nike valorizam e sobem no ranking das marcas mais valiosas do mundo

A empresa norte-americana, que patrocina atletas como Cristiano Ronaldo, Lebron James ou Rafael Nadal, está avaliada em 49.962 milhões de dólares (44.486 milhões de euros), e em 2020 já valorizou 6% em comparação ao período homólogo de 2019. Por sua vez, a Adidas valorizou 11%, atingindo uma avaliação de marca de 14.812 milhões de dólares (13.188 milhões de euros).

As marcas de equipamentos desportivos continuam a ganhar importância entre as mais valiosas do mundo. Dois exemplos disso mesmo são a norte-americana Nike e a alemã Adidas que, no relatório Kantar Millward Brown e no WPP Ranking Brandz, ocupam as posições 21 e 92 respetivamente. No caso da Nike, a marca desportiva mais valiosa do mundo, a subida foi de oito posições, enquanto a Adidas subiu sete posições.

A empresa norte-americana, que patrocina atletas como Cristiano Ronaldo, Lebron James ou Rafael Nadal, está avaliada em 49.962 milhões de dólares (44.486 milhões de euros), e em 2020 já valorizou 6% em comparação ao período homólogo de 2019. Por sua vez, a Adidas valorizou 11%, atingindo uma avaliação de marca de 14.812 milhões de dólares (13.188 milhões de euros).

A Nike e a empresa alemã ocupam a primeira e a terceira posição no ranking de marcas de equipamentos desportivos, em que a Zara está em segundo lugar, apesar de perder uma avaliação de marca de 6%.

Fora das 100 melhores, existem outras marcas de moda desportiva que estão entre as 10 empresas têxteis mais valorizadas. É o caso da Lululemon, que está entre os que melhoraram a sua avaliação, com um aumento de 40% em relação a 2019. A empresa canadiana está avaliada em 9.669 milhões de dólares (8.609 milhões de euros) e ocupa a quarta posição. Em sétimo lugar, aparece a também norte-americana Under Armour, avaliada em 2.598 milhões de dólares (2,313 milhões de euros), depois de cair 34% este ano.

Recomendadas

Luís Filipe Vieira recandidata-se à presidência do SL Benfica

O dirigente máximo dos ‘encarnados’ fez a revelação na reunião dos órgãos sociais que teve lugar esta terça-feira e assumiu-se como candidato à presidência do clube. Caso seja reeleito, poderá manter-se à frente das ‘águias’ até outubro de 2024.

“É um choque sísmico”. Clubes europeus podem perder quatro mil milhões de euros em receitas

Os clubes europeus podem vir a perder quatro mil milhões de euros em duas temporadas, devido ao impacto da pandemia de covid-19, revela um estudo a Associação Europeia de Clubes (ECA). esta terça-feira.

Nélson Veríssimo assume comando técnico do Benfica até ao fim da temporada

Nélson Veríssimo fica como treinador do Benfica até ao final da temporada, anunciou a SAD em comunicado enviado à CMVM.
Comentários