Administradora do BFA ordenou depósito de 250 mil dólares na conta de diretor de gabinete de José Eduardo dos Santos

Uma gerente do Banco Fomento Angola (BFA) disse que depositou 250 mil dólares em notas na conta do antigo chefe de gabinete do ex-PR de Angola José Eduardo dos Santos a mando da administradora do banco Manuela Moreira.

Uma gerente do Banco Fomento Angola (BFA) disse que depositou 250 mil dólares em notas na conta do antigo chefe de gabinete do ex-PR de Angola José Eduardo dos Santos a mando da administradora do banco Manuela Moreira.

A revelação é feita pela gerente do Centro de Investimento (CI) Sede, Antónia Carvalho, em resposta à investigação do departamento de auditoria interna do banco devido a depósitos suspeitos feitos em 2017, e que foram recentemente apresentados ao Banco Nacional de Angola pelo antigo vice-presidente do BFA António Domingues, que se demitiu na semana passada.

Além de ter participado numa operação de depósito no valor de 21,8 milhões de kwanzas, cerca de 33 mil euros, também em 2017, e que levantou suspeitas, a gerente do CI Sede, Antónia Carvalho, está envolvida no depósito de 250 mil dólares, cerca de 220 mil euros, na conta de Manuel Paulo da Cunha, ‘Nito Cunha’, antigo diretor do gabinete do ex-Presidente da República José Eduardo dos Santos.

“Tratando-se de um depósito em numerário de valor bastante elevado levanta-se de imediato a suspeição sobre a origem de fundos, principalmente porque tratando-se de um funcionário afeto a um órgão do Estado não se percebe a origem de rendimentos em moeda estrangeira, em numerário”, lê-se na análise interna do banco a este depósito, a que a Lusa teve acesso.

 

Recomendadas

Linha de apoio a micro e pequenas empresas disponível a partir desta quarta-feira

Para se poderem candidatar, as empresas terão de apresentar uma quebra abrupta e acentuada de pelo menos 40% da sua faturação, e não poderão ter beneficiado das anteriores linhas de crédito com garantia mútua. A SPGM avisa que as empresas em dificuldades não podem ter sede em países ou regiões com regime fiscal mais favorável (‘offshore’)”.

Crédit Agricole convidado para colocar as mais recentes emissões sindicadas de obrigações do tesouro

O Crédit Agrícole emitiu um comunicado onde faz o balanço do seu papel na economia portuguesa, onde está presente através da GNB Seguros com 75%; da Eurofactor e do Banco Credibom. Para além de ter ajudado a colocar dívida do Estado português.

Aumento da margem financeira, dos depósitos e número de contas impulsiona rendimentos do Banco CTT

Apesar do atual estado da economia e dos efeitos da pandemia, o Banco CTT registou um crescimento de 63%, para 38,4 milhões de euros, nos rendimentos do primeiro semestre de 2020. O banco registou 2,9 mil pedidos de moratórias, expondo um total de 66,6 milhões de euros, o que representa “cerca de 7% do total da carteira bruta de crédito” da instituição bancária.
Comentários