Agência Espacial Europeia vai apoiar startups com um incentivo de 50 mil euros

Para além dos incentivos financeiros, as startups selecionadas também vão receber apoio técnico e empresarial, com o objetivo de ajudar no desenvolvimento dos seus negócios.

O projeto está integrado no Centro de Incubação de Negócios da Agência Espacial Europeia (ESA BIC), que visa apoiar start-ups portuguesas que usem tecnologias e dados da indústria espacial. As candidaturas abrem no dia 14 de setembro, com as empresas selecionadas a receberem um incentivo de 50 mil euros.

Para além dos incentivos financeiros, as startups selecionadas também vão receber apoio técnico e empresarial, com o objetivo de ajudar no desenvolvimento dos seus negócios. Na primeira fase de candidaturas de 2020, que terminou no passado mês de junho, foram selecionadas quatro startups que já estão a desenvolver projetos nas áreas de energias renováveis, materiais/revestimento para espaço, blue economy e desporto.

O ESA BIC Portugal, coordenado pelo Instituto Pedro Nunes, conta com uma rede de 15 incubadoras em Portugal espalhadas pelo continente, onde também se incluem os Açores e a Madeira. O principal propósito é prestar apoio a empresas que integrem tecnologia espacial em aplicações terrestres, em áreas como a saúde, energia, transportes, segurança e vida urbana, mas também empresas que pretendem entrar no mercado espacial comercial.

Nos últimos cinco anos, o ESA BIC Portugal incubou 30 empresas, criou mais de 100 novos postos de trabalho e gerou um volume de negócios total de cinco milhões de euros. Em 2014, o Instituto Pedro Nunes tornou-se o primeiro Space Solutions Centre da Agência Espacial Europeia (ESA), entre os 21 centros existentes na Europa, a congregar os três programas de transferência de tecnologia promovidos pela ESA – o ESA BIC Portugal, a Rede de Parceiros de Inovação para Transferência de Tecnologia (Innovation Partners Network) e a Plataforma de Embaixadores de Aplicações (ESA Business Applications).

Recomendadas

Marques Mendes diz que CGD liderará sindicato bancário para financiar o Novo Banco

Luís Marques Mendes, revelou este domingo que a injeção do Fundo de Resolução no Novo Banco vai ser possível através do empréstimo de um sindicato bancário, que será liderado pela CGD. O comentador revelou que não houve qualquer conversa entre o BCP e o Governo para uma fusão com o Montepio. O JE confirmou que Miguel Maya não falou com João Leão sobre uma integração do Banco Montepio.

Premium“Construtoras nacionais apenas ficam com 20% das obras públicas”, diz bastonário da Ordem dos Engenheiros

O desinvestimento em pessoas e equipamentos ao longo dos últimos anos foi tão grande que apenas 20% das obras públicas lançadas ficam em empresas portuguesas, afirma Carlos Mineiro Aires.

Miguel Albuquerque diz que “a Madeira vai ultrapassar efeitos devastadores no turismo”

O presidente do Governo da Madeira mostrou-se este domingo convicto de que a região vai conseguir superar “mais este grande desafio” dos “efeitos devastadores” no setor do turismo provocado pela pandemia da covid-19.
Comentários