Agência Nacional de Inovação disponibilizou 2,7 milhões para três projetos de resposta à pandemia

Em causa estão três projetos expecíficos: produção de equipamentos de proteção individual (EPI) do Centro Tecnológico do Calçado de Portugal (CTCP); projeto de desenvolvimento de ventiladores do CEiiA; e testes de diagnóstico mais simples e baratos do iBET.

A ANI – Agência Nacional de Inovação disponibilizou 2,7 milhões de euros para financiar projetos de resposta à Covid-19.

Em causa estão três projetos específicos: produção de equipamentos de proteção individual (EPI) do Centro Tecnológico do Calçado de Portugal (CTCP); projeto de desenvolvimento de ventiladores do CEiiA; e testes de diagnóstico mais simples e baratos do iBET.

“São três iniciativas nacionais, lideradas pelo CTCP – Centro Tecnológico do Calçado de Portugal, pelo CEiiA – Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto e pelo iBET – Instituto de Biologia Experimental e Tecnológica. Todas com um propósito comum: autonomizar a resposta de Portugal ao surto de Covid-19, contribuir para mobilizar as cadeias de produção do país e projetar a capacidade nacional de exportação deste tipo de produtos”, explica um comunicado da ANI, acrescentando que estes projetos responderam à iniciativa ‘INOV 4 COVID19’, lançada recentemente pela Agência Nacional de Inovação (ANI), direcionada exclusivamente a Centros de Interface (CIT) e Laboratórios Colaborativos (CoLAB), e agora recebem, no total, 2,7 milhões de euros para desenvolver os seus projetos”.

De acordo com os responsáveis da ANI, “a maior fatia de financiamento, 2,6 milhões de euros, visa apoiar o projeto ‘Atena’ do CEiiA, para a conceção, produtização e industrialização de um ventilador médico invasivo de montagem simples e produção descentralizada, para ambiente hospitalar, com conceção, teste e preparação do processo de industrialização em Portugal.”

“Com industrialização prevista a partir de setembro, o CEiiA estima que, já este ano, seja possível produzir um total de 1.500 ventiladores, com a previsão de uma forte componente de exportação nos anos seguintes”, assegura o referido comunicado.

Por seu turno, “a disponibilização de testes à Covid-19 mais rápidos e baratos, que permitiriam aumentar a capacidade instalada até seis vezes em todo o mundo, é o objetivo do iBET, tendo o projeto angariado um financiamento de 40 mil euros, o total requerido pelo Instituto de Biologia Experimental e Tecnológica”.

“Como se sabe, o teste massivo ao vírus SARS-CoV-2, que provoca a Covid-19, implica um grande esforço logístico e financeiro. O objetivo é substituir o atual método baseado em qRT-PCR”, explicam os responsáveis da ANI.

Por fim, “com 77 mil euros, que se juntam a outros financiamentos já angariados, o projeto Calçado Solidário @FOOTURE, liderado pelo CTCP, mobiliza e envolve empresas do ‘cluster’ do calçado e dos setores dos componentes plásticos e da moda e tem como principal objetivo a certificação de equipamentos de proteção individual (EPI), incluindo calçado, máscaras e viseiras”.

Recomendadas

5G: Nowo já pediu estabelecimento de acordos de ‘roaming’

De acordo com o regulamento, os operadores vão ter de chegar a acordo entre eles e têm 45 dias para o fazer, caso tal não aconteça podem recorrer à Anacom para arbitrar o processo.

Grupo FNAC investe 300 mil euros e abre primeira loja de bem-estar e sustentabilidade em Portugal

A insígnia abrange aromaterapia, chás e infusões, entre outros. “Pretende inspirar a fazer essa mudança. Traz consigo o propósito de criar um mundo melhor, apelando a um modo de vida mais consciente, mais próximo da natureza, com foco no bem-estar e no respeito pelo planeta”, garante ao JE o diretor geral, Nuno Luz.

CEO da Apple assinou “acordo secreto” de 275 mil milhões de dólares com oficiais chineses para continuar a operar no país

Em 2016, os executivos da Apple ficaram alarmados com as ameaças do governo chinês contra recursos como Apple Pay, iCloud e App Store, o que levou Cook a realizar uma série de reuniões secretas com autoridades de Pequim.
Comentários