Agroindústria portuguesa tem condições para continuar a crescer, mas deve investir no conhecimento

O presidente da Lusomorango, Luís Pinheiro, e o diretor do Centro de Estudos Aplicados da Universidade Católica, Ricardo Reis, defendem que o sector agroindustrial tem condições para se desenvolver, no início da última conferência do ciclo para a concretização de uma visão estratégica para o agroalimentar em Portugal

A agroindústria portuguesa tem condições para continuar a crescer, mas precisa de investir no conhecimento, defenderam o presidente da Lusomorango, Luís Pinheiro, e o diretor do Centro de Estudos Aplicados da Universidade Católica, Ricardo Reis, no início da última conferência do ciclo para a concretização de uma visão estratégica para o agroalimentar em Portugal, que decorre esta quarta-feira, 14 de abril.

Na conferência sobre o “Pacto Ecológico Europeu, do Prado ao Prato”, transmitida pela plataforma multimédia da JE TV, o presidente da Lusomorango defendeu que Portugal tem “condições excecionais para uma determinada agricultura, como a hortifruticultura”, e que “a capacidade para continuar a crescer é grande”, mas tem de investir no conhecimento para aproveitar essa capacidade.

Para Ricardo Reis, essa aposta no “conhecimento e no capital humano” é essencial e tem de incluir a academia.

“Há muita margem para que Portugal possa criar sinergias entre empresas, universidades e parceiros públicos, para criar conhecimento”, afirmou.

A conferência inclui uma mesa-redonda em que participarão António Serrano, CEO da Jerónimo Martins Agroalimentar; Ana Trigo de Morais, CEO da Sociedade Ponto Verde; Luís Mira, secretário-geral da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP); e Hector Lujan, presidente e CEO da Reiter Affiliated Companies.

O ciclo de conferências “Conhecer para Decidir, Planear para Agir” é promovido pela Lusomorango, a maior organização de produtores portuguesa do sector das frutas e legumes, e pela Universidade Católica Portuguesa, numa iniciativa de que o Jornal Económico é media partner. As conferências realizam-se semanalmente e terminam esta quarta-feira.

O objetivo desta iniciativa é “contribuir com uma visão estratégica global, integrando na reflexão toda a cadeia de valor agroalimentar nas várias perspetivas geográficas”, explicou ao JE Luís Pinheiro.

Ler mais

Relacionadas

Conferência sobre o agroalimentar e o Pacto Ecológico Europeu realiza-se esta quarta-feira. Veja aqui

O ciclo de conferências “Conhecer para Decidir, Planear para Agir” é promovido pela Lusomorango, a maior organização de produtores portuguesa do sector das frutas e legumes, e pela Universidade Católica Portuguesa, numa iniciativa de que o Jornal Económico é media partner.
Recomendadas

Vinhos do Tejo aumentam certificação em 11% no primeiro quadrimestre de 2021

O passado mês de abril foi o melhor mês de sempre para a região vitivinícola do Tejo, com 3,6 milhões de litros de vinho certificado.

CAP solicita ao Governo a apresentação dos resultados das inspeções realizadas em Odemira

A exigência é direcionada à ministra do Trabalho e da Segurança Social, Ana Mendes Godinho, que vai presidir amanhã, dia 12 de maio, à reunião do Conselho Permanente de Concertação Social.

CAP quer trabalhadores testados e autorizados a regressar às explorações em Odemira

“É imprescindível que seja instituído um mecanismo fiável de testagens que permita a circulação de proprietários e de trabalhadores para efeito de acesso às produções agrícolas, mediante apresentação de comprovativo de teste negativo para a covid-19”, afirmou o presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal, Eduardo Oliveira.
Comentários