AHRESP: Cerca de 60% dos clubes noturnos pondera declarar insolvência

“Resultados verdadeiramente alarmantes”, avança a AHRESP no último inquérito mental. No setor da restauração e bebidas, 43% das sociedades pretende requerer a este fim, dado que a a esmagadora maioria refere que não irá conseguir suportar os encargos habituais apartir do mês de agosto.

Cerca de 60% das empresas de animação noturna (bares e discotecas) ponderam requerer insolvência. Este setor tem sido gravemente afetado pela pandemia da Covid-19 que obrigou aos donos destes establecimentos manter as portas fechadas há pelo menos cinco meses.

As conclusões vêm no novo inquérito mensal da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) sobre a atividade turística em Portugal, nomeadamente nos setores de restauração, bebidas e alojamento turístico. De acordo com a nota divulgada esta terça-feira, 62% clubes noturnos poderão vir a desaparecer nos próximos meses.

Atualmente existem cerca de três mil clubes noturnos no país. O número, que é uma estimativa, já que não existem dados oficiais, engloba bares com pista de dança e discotecas, segundo as somas do “Expresso”.

Os “resultados verdadeiramente alarmantes” da entidade revelam que no setor da restauração e bebidas 43% das sociedades pretende requerer a este fim, dado que a a esmagadora maioria refere que não irá conseguir suportar os encargos habituais, como pessoal, rendas, energia, fornecedores e outros, a partir do mês de agosto.

Para as empresas inquiridas, a faturação do mês de julho foi avassaladora, com 75% das empresas a registarem perdas acima dos 40%.

Quanto aos salários, o inquérito da AHRESP informa que e mais de 16% das empresas não conseguiram efetuar o pagamento e 14% só pagou parcialmente. Com esta realidade, 16% das empresas já efetuaram despedimentos desde o início do estado de emergência, e mais de 30% das empresas assumem que não vão conseguir manter todos os postos de trabalho até ao final do ano.

Ler mais
Relacionadas

AHRESP: Setor de alojamento turístico com quebras na taxa de ocupação de mais 90%

A conclusão vem no inquérito mensal da AHRESP. Cerca de 36% das empresas refere ter registado uma quebra homóloga superior a 90% na taxa de ocupação.

“Insulto ao setor”: Associação de Discotecas do Sul e Algarve critica decisão do Governo para reabertura de estabelecimentos

O presidente da Associação de Discotecas do Sul e Algarve apontou que “não há hipótese de competir [com os restaurantes], a discoteca não foi feita para competir com restaurantes, nem faz sentido”.
Recomendadas

Novo Banco: ASF diz que comprovou idoneidade de todos os ligados à compra da GNB Vida

“Os beneficiários desta aquisição são 19, 19 investidores pessoais, que têm participações no fundo Apax. (…) Sabemos quem são os beneficiários últimos, esta pessoa não consta”, afirmou a presidente da Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASF), em audição na comissão de orçamento e finanças.

Carris prolonga horários dos autocarros por causa da derrocada na Praça de Espanha

O serviço noturno do autocarro “746”, que percorre a zona do Marquês de Pombal até Sete Rios, foi prolongado até à 1h00, depois do desabamento nas obras que provocou ferimentos ligeiros em quatro pessoas.

Tecnoplano vai fiscalizar obra de expansão do Metro de Lisboa

Às empreitadas já adjudicadas acrescerá a fiscalização dos subsequentes contratos por adjudicar de acabamentos e equipamentos das estações túneis, poços de ventilação e viadutos, asseguram os responsáveis da empresa.
Comentários