AL: Passagem de Ano no Porto esgotada. Uma noite pode custar 500 euros

A concentração das celebrações na principal artéria da cidade portuense agrada a público nacional e internacional e explica porque disparam os preços e a ocupação no Alojamento Local situado nas zonas mais centrais.

O Alojamento Local (AL) na cidade do Porto estará esgotado para a noite da Passagem de Ano, de acordo com as informações fornecidas pela Host Wise, num estudo que assenta em dados consolidados internos e estatísticas disponibilizadas por plataformas do setor como o AirDNA e PriceLabs.

Segundo apurou a gestora de aluguer de curta duração, apesar de se verificar uma subida de preços na ordem dos 75% para esta noite, a Passagem de Ano no Porto “tem neste momento grande probabilidade de esgotar a sua ocupação. Este evento no Porto tem vindo a solidificar-se como o principal a nível nacional, posicionando-se acima das restantes cidades do país a nível de procura, sendo ultrapassada apenas pela Madeira a nível de preço médio”, detalha a empresa, em comunicado.

No início do mês de dezembro, a mais de três semanas do réveillon, os apartamentos com maior capacidade já registavam taxas de ocupação de 84% e 86%, respetivamente.

A Host Wise dá ainda nota de que, estatisticamente, foi possível verificar que os apartamentos de tipologia inferior são reservados com menor antecedência (“booking window” de 22 dias) e, como tal, projeta que a cidade do Porto entre em 2020 com lotação esgotada.

A concentração das celebrações na principal artéria da cidade portuense agrada a público nacional e internacional e explica porque disparam os preços e a ocupação nas zonas mais centrais. “A Passagem de Ano é o único evento recorrente na cidade do Porto no qual a procura excede a oferta, permitindo subir a receita do mês de dezembro e consequentemente amenizar os efeitos da época baixa”, salienta Renato Chainho, gestor da Host Wise.

O estudo indica ainda que o aumento da procura para este período na cidade do Porto reflete-se num aumento de preço em todas as tipologias, no caso de T1 chegando a duplicar o preço relativo ao praticado na semana anterior, de 68 euros para 136 euros.

Ainda assim, o incremento de preço para esta data foi inferior ao registado em anos anteriores neste segmento, o que se deve, sobretudo, ao elevado número de unidades de Alojamento Local existentes na cidade (8508, de acordo com o Registo Nacional do Alojamento Local) e ao facto de a oferta ser cada vez mais dominada por T0 e T1, que são reservados por público maioritariamente português e espanhol.

Já entre as melhores unidades disponíveis, o preço mediano de um apartamento T3 ou maior é de 399 euros, o dobro do que se registava uma semana antes. As propriedades mais caras da cidade podem ultrapassar os 500 para a noite de dia 31.

Ler mais
Recomendadas

Estaleiros de Viana, CTT Logística e STCP apostam na inovação

A tecnologia está a diferenciar as novas soluções que respondem às necessidades dos serviços e negócios nascidos da rápida evolução que os mercados estão a ter no transporte e na logística.

Hotéis do grupo Prainha reabrem com 24 horas de intervalo em cada dormida

As unidades hoteleiras em Alvor e Lagos voltam a abrir portas na próxima sexta-feira.

Respostas rápidas: Como vai funcionar o novo Instrumento de Apoio à Solvabilidade europeu

O novo instrumento temporário proposto pela Comissão Europeia é dirigido a empresas “economicamente viáveis”, mas que enfrentam problemas de solvabilidade provocados pela crise da Covid-19. Quer desbloquear 300 mil milhões de euros para empresas situadas na União Europeia e um dos critérios de acesso é que com base nas contas de 2019 não apresentassem já necessidades de auxílios.
Comentários