Aldeias do Xisto lançam promoção e aderem à campanha ‘Visita Portugal’

Até 15 de dezembro, os descontos nesta Rede das Aldeias de Xisto, com quatro hotéis de 60 casas na Região Centro do país, chegam aos 50%, com o objetivo de promover a procura interna pelo turismo.

As Aldeias do Xisto estão na página “Visita Portugal” (www.visitaportugal.pt) com uma campanha promocional que inclui descontos que podem chegar aos 50% em estadias longas, uma forma que esta plataforma considera que irá  estimular a procura interna, especialmente em época baixa, e criar hábitos de consumo de turismo.

“As Aldeias do Xisto estão presentes na página Visita Portugal. São 32 parceiros distribuídos por 15 municípios, com quatro hotéis e 60 casas, numa oferta total superior a 240 quartos. Nesta campanha, via Bookinxisto (www.bookinxisto.com), os parceiros aderentes, juntamente com o Turismo de Portugal, garantem um desconto de 30% para estadias curtas (até duas noites) e de 50% para estadias longas (três ou mais noites)”, adianta um comunicado desta entidade.

A oportunidade está em vigor até 15 de dezembro.

De acordo com o referido comunicado, “o novo luxo é o tempo, tempo para a imersão e para o contacto genuíno”, “tempo para alargar o olhar e ser verdadeiramente consciente”.

“Nas Aldeias do Xisto, isso é possível através da comunhão com a natureza e do contacto com as comunidades locais e a sua cultura. Viajar e conhecer novas paisagens, pessoas ou revisitar lugares que nos ficaram na memória e fizeram felizes, é uma das melhores formas de descontrair e deixar o quotidiano em suspenso por uns dias. Aproveite as suas férias até ao inverno e visite as Aldeias do Xisto, onde todas as estações têm o seu encanto e a descoberta acontece durante todo o ano”, desafia esta plataforma turística.

Rui Simão, diretor executivo da ADXTUR – Agência para o Desenvolvimento das Aldeias do Xisto, sublinha que, “com esta campanha, as Aldeias do Xisto estão do lado da recuperação do País, convidando à comunhão com a natureza e o contacto responsável com as comunidades locais e a sua cultura”.

“Além de nos proporcionar breves fugas ao quotidiano, o turismo contribui também para nos fazer felizes e para unir diferentes visões do mundo, transformando-se assim na ponte entre ancestralidade e modernidade que serve de esboço aos desafios das comunidades do futuro”, avança o mesmo responsável.

Este programa é uma iniciativa do Governo, coordenada pelo Turismo de Portugal, para estimular a procura interna, especialmente em época baixa, e criar hábitos de consumo de turismo em Portugal.

A Rede das Aldeias do Xisto é um projeto de desenvolvimento sustentável, de âmbito regional, liderado pela ADXTUR – Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto, em parceria com 20 municípios da Região Centro e com mais de 100 operadores privados, com o apoio do Centro 2020.

“A ADXTUR congrega as vontades públicas e privadas de uma região, que se reveem na gestão partilhada de uma marca, na promoção conjunta de um território, na criação de riqueza através da oferta de serviços turísticos e, finalmente, na preservação da cultura e do património do mundo rural beirão”, conclui o comunicado em questão.

Ler mais
Recomendadas

AHRESP entende que proibição de circulação não se aplica às reservas feitas previamente

No entanto, porque persistem dúvidas sobre a interpretação desta norma, a associação da restauração e hotelaria garante que irá questionar a tutela sobre o assunto.

CEO da CGD defende que a consolidação bancária vai decorrer “nos próximos dois anos”

A consolidação da banca poderá ser impulsionada pelos resultados dos bancos nos próximos trimestres, defendeu o CEO da CGD que considera que um banco público tem de ter dimensão para poder ser relevante no mercado. O BCP defende que a consolidação será cross border. Aumentos de capital para superar a crise? CEO do BCP e o CEO do BPI rejeitam que haja essa necessidade.

Novo Banco tem carteira de malparado de 100 milhões à venda

A revelação foi feita numa conferência para falar sobre a “banca do futuro”, organizada pelo Negócios, António Ramalho ironizou ao falar da carteira de NPL que está já à venda: “não se chama ‘Nata 3’ porque achámos por bem denominar isto com nomes mais ligados a jogadores de rugby. Que passou a estar na moda depois de este meu colega [Miguel Maya] ter lançado dois processos no mercado com base no rugby”.
Comentários