Alemanha continuará a fazer a sua parte pelo clima, diz Angela Merkel

Angela Merkel disse que a Alemanha reduziu as suas emissões em 40% em relação a 1990 e aspira, de acordo com o decidido a nível comunitário, chegar a 55% de redução em 2030. O objetivo final dos 27 países da União Europeia é chegarem a 2050 com emissões neutras.

POOL

A chanceler alemã, Angela Merkel, garantiu hoje, quinta-feira, que o país continuará a fazer “a parte que lhe compete” na luta contra o aquecimento global.

Ao intervir na cimeira sobre o clima convocada pelo Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, a chefe do governo alemão disse que apesar da pandemia de Covid-19 a Alemanha continua decidida em cumprir os objetivos de redução de emissões de gases com efeito de estuda fixados pela União Europeia, e com os seus compromissos financeiros.

Angela Merkel disse que a Alemanha reduziu as suas emissões em 40% em relação a 1990 e aspira, de acordo com o decidido a nível comunitário, chegar a 55% de redução em 2030. O objetivo final dos 27 países da União Europeia é chegarem a 2050 com emissões neutras.

A chanceler recordou que a Alemanha aumentou as suas contribuições para o Fundo Verde da ONU, para apoiar e combater as consequências das alterações climáticas nos países mais pobres até aos 4.000 milhões de euros anuais.

É necessária “mais solidariedade” para com os países em desenvolvimento, afirmou em relação a esse fundo, para o qual os países industrializados se comprometeram a apoiar com 100.000 milhões anualmente a partir de 2020 (e que não cumpriram).

A responsável defendeu que se aproveitem os planos públicos de recuperação económica, no seguimento da crise provocada pela pandemia de Covid-19, para que se aposte na inovação e nas tecnologias verdes.

Em relação à cimeira sobre biodiversidade que se realiza este ano na China defendeu a proteção de 30% das superfícies terrestres e marítimas.

Angela Merkel disse ainda que 46% da eletricidade produzida na Alemanha no ano passado proveio de fontes renováveis e lembrou o plano do Governo para fechar a última central a carvão no máximo até 2038.

O Presidente dos Estados Unidos convidou 40 líderes mundiais para uma cimeira destinada a preparar o caminho para a cimeira das Nações Unidas sobre o clima que se realiza este ano em Glasgow (COP26).

Ler mais
Recomendadas

Final da Liga dos Campeões poderá resultar na emissão de mais de cinco mil toneladas de GEE

A estimativa foi feita com base na previsão de que 12 mil passageiros, em classe económica, farão uma viagem de ida e volta entre os aeroportos de Londres Heathrow-Porto e Manchester-Porto. Isto sem contar com a deslocação entre as próprias equipas e convidados.

25 cidades portuguesas estão preparadas para atenuar danos das alterações climáticas

As cidades dos municípios de Águeda, Amarante, Braga, Fafe, Guimarães, Ovar, Valongo, Viseu, Funchal, Loulé, Barreiro, Cascais, Lisboa, Mafra, Sintra e Torres Vedras fazem parte do total das 148 cidades europeias que assumem boas práticas para atenuar os efeitos das alterações climáticas.

Estudo alerta para incumprimento da Convenção sobre a Diversidade Biológica por países ricos

Esta investigação dedicou-se a analisar as principais causas da perda de biodiversidade mundial e concluiu que é necessária uma “reorganização urgente e profunda” da economia global pós-pandemia da covid-19 para evitar mais danos ambientais.
Comentários