Alemanha investe até 750 milhões de euros para desenvolver vacina

A ministra da Ciência alemã, Anja Karliczek, disse que o seu Governo concordou em fornecer às empresas BioNTech e CureVac 375 milhões de euros e 230 milhões de euros, respetivamente, para desenvolverem as suas vacinas.

Karoly Arvai/Reuters

A Alemanha anunciou hoje que vai financiar em até 750 milhões de euros três empresas farmacêuticas do país que estão a desenvolver vacinas contra o novo coronavírus.

A ministra da Ciência alemã, Anja Karliczek, disse que o seu Governo concordou em fornecer às empresas BioNTech e CureVac 375 milhões de euros e 230 milhões de euros, respetivamente, para desenvolverem as suas vacinas.

As negociações com uma terceira empresa, a IDT Biologika, devem ser concluídas em breve, acrescentou a ministra, explicando que esta empresa está a desenvolver uma vacina baseada num modelo que aplica uma proteína do novo coronavírus nas células, para estimular a resposta imunológica do corpo.

O acordo com as três empresas, que obriga a cronogramas específicos, garantirá à Alemanha 40 milhões de doses da vacina, que se somam ao resultado de outros acordos de fornecimento de vacinas celebrados através da União Europeia.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 929.391 mortos e mais de 29,3 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.875 pessoas dos 65.021 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Ler mais
Recomendadas

Oxfam: 1% mais ricos do mundo são responsáveis por mais do dobro das emissões poluentes do que 50% mais pobres

O relatório alertou ainda para o consumo excessivo do carbono por parte dos mais ricos, assumindo que estes estão a esgotar o “orçamento de carbono” mundial, sustentando que este é “finito”.

Reino Unido em fase crítica da pandemia, alerta diretor-geral de Saúde

“A tendência no Reino Unido está a ir em direção contrária e estamos a entrar num ponto crítico da pandemia”, admitiu o diretor-geral de Saúde de Inglaterra, Chris Whitty. “Estamos a analisar os dados para perceber como gerir a propagação do vírus antes que chegue um inverno desafiador”, explicou o médico consultor.

Biden diz que substituição no Supremo antes das eleições é “exercício de poder brutal”

“Se o Presidente Trump insiste em dar um nome, o Senado não deverá agir antes que os americanos possam escolher o seu próximo Presidente e o seu próximo Congresso”, prosseguiu o antigo vice-presidente de Barack Obama, que lidera as sondagens nacionais para a corrida à Casa Branca.
Comentários