Alemanha precisa de mais 860 mil milhões de euros para alcançar metas climáticas

O dinheiro irá servir para reduzir as emissões de gases de efeito estufa até 65% até 2030, comparativamente aos níveis de 1990 para que, até 2045, a Alemanha consiga tornar-se neutra em carbono.

Berlim, Alemanha

Serão precisos mais 860 mil milhões de euros para a Alemanha conseguir atingir as metas climáticas definidas para 2030. As conclusões surgem num estudo conduzido e divulgado, esta quinta-feira, pela Federação das Indústrias Alemãs (BDI, sigla em alemão) juntamente com a Boston Consulting Group.

A investigação, que decorreu ao longo de dois anos, contou com o feedback de dezenas de especialistas, empresas e organizações alemãs, foi publicada numa altura em que a nova coligação governamental entre o Partido Social Democrata, os Verdes e o Liberais começa a ganhar forma.

Siegfried Russwurm, presidente da BDI, afirma em declarações à “Reuters” que a transição e a emergência climática devem ser as principais preocupações do próximo governo. “Serão precisas decisões concretas”, disse. “Uma industria limpa em carbono não sai barato”.

Para avançar com as metas, Russwurm estima que o Estado invista nas infraestruturas cerca de 240 mil milhões de euros até 2030.

Mas alocar dinheiro para melhorar as redes de eletricidade, reforçar as fontes de energia renováveis e ferrovias, por exemplo, não será  suficiente, afirma Russwurm. “Não se alcançam objetivos só com o dinheiro”, disse.

Relacionadas

COP26: Arábia Saudita, Japão e Austrália pressionam ONU para alterar relatório climático

Muitos países e empresas defendem que o mundo não precisa de reduzir o uso de combustíveis fósseis a níveis recomendados pelo relatório. Esta redução do uso de combustíveis afetará os países mais dependentes da produção e exportação dos mesmos.

Desde o fim do ISP ao poder das empresas privadas. O que dizem os partidos sobre aumento de preços dos combustíveis?

Antes do debate com o Conselho Europeu, a decorrer esta quinta-feira, os partidos com representação no Parlamento expuseram as suas preocupações para com a crise energética e abordaram temas como o fim do Imposto sobre Produtos Petrolíferos, mas também a transição para energias renováveis.

Estado de emergência na Alemanha termina a 25 de novembro

O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde alemão, Jens Spahn que diz que o país está a “a passar de um estado de emergência para um estado de cautela especial”.
Recomendadas

Emissões de gases com efeito de estufa aumentaram 18% na União Europeia

Os responsáveis pela maior parte das emissões de gases com efeito de estufa foram a indústria e construção, o fornecimento de eletricidade e a agricultura (14%), divulga o Eurostat.

Projeto de 31 milhões de euros para proteção florestal vai beneficiar 15 mil hectares

O projeto terá em conta também a redução do risco de incêndio, com a diversificação e combinação de espécies, criação de faixas de gestão de combustível e vigilância regular.

Premium“Não podemos ter mil hectares intervencionados com um enclave”, afirma secretário de Estado das Florestas

Arrendamento forçado é apontado pelo secretário de Estado das Florestas como garantia de que “ínfima minoria” não condicione áreas que podem travar incêndios e garantir apoios a produtores até agora excluídos desses rendimentos.
Comentários