Algarve, Madeira, Brasil e Caraíbas: “destinos estrela” para o final do ano

Mais portugueses vão viajar neste final do ano, a preços mais altos, disse o presidente da APAVT, antecipando um crescimento de entre 7% a 9%.

“Relativamente aos destinos mais importantes, em primeiro lugar Portugal, é sempre assim no final do ano até porque são estadas mais curtas”. E dentro do país, “os destinos estrela”, como os classifica Pedro Costa Ferreira, também são os esperados: “continuamos a ter o Algarve, a Madeira, mas também é verdade que se acentua a tendência dos últimos anos que têm a ver com viagens um pouco por todo o país”.

Os Açores, mas também a região centro e norte têm merecido a atenção dos portugueses na hora de escolher onde receber o novo ano. “Como sabemos há novas infraestruturas importantes nessas regiões, há sinais claros de crescimento recente e esse crescimento vai-se manter ao longo deste final de ano”, explica o presidente da APAVT numa entrevista à agência Lusa.

Quanto às viagens para o estrangeiro, “o quadro não é muito diferente do ponto de vista dos destinos em relação aos anos anteriores”, afirma o responsável. Do ponto de vista do longo de curso, acrescentou, o espetro não se alargou: Brasil e Caraíbas continuam a ser os destinos tradicionais de fim de ano.

Recomendadas

Trabalhadores da TSF ameaçam com greve se Global Media não esclarecer reestruturação do grupo

Os trabalhadores da rádio TSF ameaçaram recorrer à greve se a administração da Global Media não esclarecer dentro de dez dias questões relacionadas com a anunciada reestruturação do grupo.

PremiumGuestReady gere alojamentos no valor de 51 milhões em Portugal

Empresa de gestão de alojamentos locais gere imóveis avaliados em mais de mil milhões de euros. É preciso pensar em grande”, diz o fundador.

PremiumCTO da Altice Portugal: “A IA vai ser fundamental para o nosso negócio”

Luís Alveirinho, o Chief Technology Officer (CTO) da Altice Portugal, falou ao Jornal Económico sobre os grandes investimentos da operadora e da comercialização do 5G em Portugal.
Comentários