Alojamento local perdeu quase três mil casas entre Lisboa e Porto durante a pandemia

Na capital registaram-se menos 1.744 apartamentos nas tipologias T0 e T1 ativos em junho deste ano face a igual período de 2019. Já no Porto, a quebra foi de menos 1.158 apartamentos durante o mesmo período.

Cristina Bernardo

Os apartamentos ativos no Alojamento Local (AL) registaram uma queda expressiva de 2.900 habitações entre as cidades de Lisboa e Porto em junho de 2020 face a igual mês do ano passado, segundo informam os dados do SIR-Alojamento Local apurados pela Confidencial Imobiliário, esta quinta-feira, 24 de setembro.

Em Lisboa, registam-se menos 1.744 apartamentos nas tipologias T0 e T1 ativos, contando com 3.468 residências em junho deste ano, face aos 5.212 de junho de 2019. As freguesias da Misericórdia e de Santa Maria Maior foram as que mais contribuíram para esta perda, retirando do circuito, respetivamente, 435 e 388 apartamentos.

Nota também para a freguesia de São Vicente com uma perda de 182 apartamentos, além de Santo António, onde existem menos 196 alojamentos locais ativos.

Já na cidade do Porto, estão ativos menos 1.158 apartamentos das tipoligias T0 e T1 em regime de alojamento local, com a oferta atual a ser de 2.536 fogos. Em junho de 2019, este universo era de 3.694 apartamentos.

Dos apartamentos retirados de atividade, 853 situam-se na União de Freguesias do Centro Histórico, território onde estão atualmente ativos 2.066 apartamentos.

Recomendadas

Preço médio da habitação em Portugal fixou-se nos 1.187 euros\m2 no segundo trimestre

Este valor representa uma redução face ao primeiro trimestre (-1,4%) mas um aumento relativamente ao segundo trimestre de 2019 (+9,4%).

Avaliação das casas permaneceu nos 1.128 euros em setembro

Em termos homólogos este valor representa uma desaceleração, tendo a taxa de variação abrandado de 7,0% em agosto para 5,8% em setembro. Número de avaliações bancárias foi de cerca de 24 mil, mais 3,0% que no mesmo período do ano anterior.

Preço de vendas das casas desce 2,1% em setembro

Em termos homólogos, os preços das habitações subiram 7,9% em setembro, revelando um abrandamento face ao crescimento de 11,7% verificados no mês anterior.
Comentários