Altice Labs vai apoiar iniciativa Algarve Tech Hub

Em declarações ao Jornal Económico, o CEO da Altice Portugal, Alexandre Fonseca, acredita que o Algarve Tech Hub tem a capacidade de reter talento na região e atrair outro de fora.

A Altice Portugal vai integrar os Altice Labs na iniciativa Algarve Tech Hub, que tem como objetivo ser uma referência na área das tecnologias de informação e comunicação, de modo a conseguir reter talento na região, disse ao Jornal Económico o presidente executivo da operadora de telecomunicações.

Alexandra Fonseca afirma que, no âmbito da Universidade do Algarve, é formada, todos os anos, “mão-de-obra especializada que acaba por procurar oportunidades fora da região”, mas que acredita que “o Algarve Tech Hub tem a capacidade de reter este talento e atrair outro de fora”. “A Altice Portugal vai apoiar o projeto Algarve Tech Hub através, em primeiro lugar, dos Altice Labs, que terão um papel central”, explicou.

O comité executivo da Altice Portugal vai estar esta quarta-feira, 3 de outubro, e também quinta-feira, no Algarve, para, entre outras iniciativas, assinar, em Faro, um protocolo de colaboração com a Universidade do Algarve, para “promover a captação e retenção de talento na região, bem como no desenvolvimento de projetos académicos de interesse público ou de negócio que dinamizem a economia regional”.

Em Olhão, será assinado outro protocolo, “no âmbito da descentralização da Altice Labs para o Algarve, dinamizando o contexto de inovação, desenvolvimento tecnológico e promoção do investimento privado no concelho e na região”.

“O trabalho da Altice Labs com o município de Olhão e restantes entidades já decorre há mais de um ano. A descentralização da Altice Labs foi uma ideia que partiu da Altice Portugal há já dois anos, mas temos de reconhecer o papel determinante da AMAL e a CCDR do Algarve para que este projeto viesse a ser uma realidade. Olhão foi o local escolhido por estas duas entidades e pela Altice Portugal e Olhão será central no panorama de inovação na região”, diz Alexandre Fonseca ao Jornal Económico.

Recomendadas

PremiumImparidades de 841,2 milhões de euros tiram 300 milhões ao lucro do BCP

O BCP teve lucros de 183 milhões de euros, menos 39,4% do que em 2019, graças às provisões de 841,2 milhões de euros no contexto Covid-19. Polónia e Fundos de Restruturação impactaram nas contas.

1.886 tripulantes da TAP votaram ‘sim’. Acordo de emergência fica aprovado no SNPVAC

A esmagadora maioria dos tripulantes da TAP representados pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil votou favoravelmente o “Acordo de Emergência”, virando a página num processo negocial que tem sido longo para os trabalhadores do Grupo TAP, mas que salvaguardou algumas regalias laborais.

TAP. Pilotos do SPAC aceitam “acordo de emergência”

Com uma participação massiva de 96,8% dos associados do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), foi votado o “Sim” ao “acordo de emergência” estabelecido com a administração da TAP, com uma maioria de 617 votos. O regime sucedâneo é afastado para os pilotos, que vêm o ordenado ser cortado em 50% acima do valor de garantia de 1.330 euros mensais.
Comentários