Altice Portugal simula operação de socorro para demonstrar e testar potencialidades do 5G

Este simulacro marca também o arranque da primeira fase da rede experimental 5G para a cidade de Aveiro, visto que a cidade está alinha com o projeto Aveiro STEAM City. Este projeto representa o desejo de a cidade aveirense tornar-se na primeira coberta totalmente com 5G até 2020.

Rafael Marchante/Reuters

A Altice Portugal realizou, esta quarta-feira, 11 de setembro, uma demonstração de 5G a partir de um simulacro de uma operação de socorro, em Aveiro, para testar as potencialidades da nova tecnologia, como menor latência, maior largura de banda e possibilitar maiores velocidades de deslocação dos utilizadores. Recorrendo a uma rede experimental, forças de segurança, bombeiros e pessoal de emergência médica usaram comunicações 5G para suporte da sua intervenção.

A iniciativa da empresa liderada por Alexandre Fonseca teve como objetivo mostar como o 5G poderá “aumentar a eficácia em situações reais, neste caso do socorro, através da utilização de vários equipamentos que fornecem imagens do local do acidente, com recurso a um drone, bem como informação vital dos sinistrados em tempo real, graças à baixa latência, maior banda de larga e novas funcionalidades de rede 5G”, lê-se no comunicado da Altice Portugal.

A eficácia no socorro, de acordo com testado no simulacro, aumenta também com o 5G a permitir uma adaptação das autoridades a cada caso concreto.

“Esta demonstração é mais uma materialização das vantagens da rede 5G no futuro, num território que vai beneficiar e continuar a evoluir com esta tecnologia – o socorro. O 5G é claramente uma oportunidade para Portugal, tratando-se de uma oportunidade que a Altice não vai deixar passar ao lado. O intenso deployment de fibra ótica e a modernização das estações de base nos últimos anos, em todo o país, nos coloca numa posição mais confortável na evolução para o 5G”, explicou o Chief Technology Officer (CTO, administrador para a tecnologia) da Altice Portugal.

O simulacro contou com a participação do Gabinete de Proteção Civil da Câmara Municipal de Aveiro, da Polícia de Segurança Pública, as duas corporações de Bombeiros Voluntários de Aveiro e o Hospital de Aveiro. Para levar a cabo a demonstração de 5G a rede experimental, que assegurou as comunicações 5G, teve dedo da Ericsson que configurou uma rede 5G E2E.

Este simulacro marca também o arranque da primeira fase da rede experimental 5G para a cidade de Aveiro, visto que a cidade está alinha com o projeto Aveiro STEAM City. Este projeto representa o desejo de a cidade aveirense tornar-se na primeira coberta totalmente com 5G até 2020.

De acordo com os objetivos traçados pela Comissão Europeia, Pelo menos uma cidade em cada Estado-membro terá de ter cobertura 5G até 2020 e criar uma plataforma urbana de inovação tecnológica que suporte o desenvolvimento de competências e de novos negócios.

Ler mais
Relacionadas

Albuquerque assume 5G como prioridade para a Madeira e critica atraso do país na tecnologia

O presidente do Governo Regional disse que a Madeira tem de “avançar rapidamente” com o desenvolvimento do 5G, e que “não vai estar à espera de meia dúzia de burocratas” que querem atrasar o desenvolvimento da região.

CEO da Altice Portugal diz que 5G está atrasado e acusa Anacom de “levar operadores ao limite para falharem”

“No 5G, Espanha, Suíça, Alemanha  e Inglaterra já  lançaram o serviço.  Itália e Áustria já fizeram o leilão das frequências e em Portugal nem sabemos o que vai acontecer”. Ao JE, à margem de uma visita à Feira de São Mateus, em Viseu, o presidente executivo da Altice Portugal, Alexandre Fonseca, falou ainda sobre a Televisão Digital Terrestre e comentou as negociações exclusivas entre Prisa e Cofina pela dona da TVI.

Aldeia da Sertã volta a ter telefone fixo e internet após dois anos sem comunicações

Sem telefone fixo e internet desde os incêndios de outubro de 2017, a reposição das comunicações na aldeia Marinha do Vale de Carvalho foi levada à cabo pela Altice Portugal com a implementação de uma rede de fibra ótica.
Recomendadas

Covid-19: ‘Chef’ Vítor Sobral vai “acender uma velinha a Nossa Senhora de Fátima” para pagar salários

O Grupo Quina emprega cerca de 120 funcionários. Dois restaurantes foram encerrados, outros dois estão a funcionar em regime de ‘take away’, assim como as padarias. Vítor Sobral garante salários neste mês de março, mas não sabe como será no mês de abril.

Novo Banco vende “Rei dos Cogumelos” em plena crise

O Novo Banco, maior credor do grupo Sousacamp, com 49% dos créditos, acordou a venda do maior produtor ibérico de cogumelos ao Core Capital.

Covid-19: Kaeser garante assistência a equipamentos de ar comprimido de hospitais e da indústria

Além de cerca de três mil empresas do setor industrial, em Portugal a Kaeser trabalha com hospitais como o Grupo Trofa Saúde, Hospital Santo António, Hospital de Braga, Hospital de Santa Maria, Hospital de Gaia, Hospitais de Coimbra, Hospitais Lusíadas e Fundação Champalimaud.
Comentários