Alunos com piores notas em português escolhem carreira de professores

Os alunos que escolhem os cursos superiores de Educação têm uma média de 10,2 valores a português. Pior só os alunos que escolhem Turismo, Serviço Social e Restauração com uma média de 10 valores a português, escreve o Público.

Os alunos que escolhem licenciaturas da área da Educação em Portugal e que pretendem tornarem-se docentes estão na lista dos que têm piores notas na disciplina de Português, revela o “Público” na edição desta quinta-feira, 10 de janeiro.

Com base num estudo da Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC), o diário escreve que os estudantes que entraram em cursos superiores de Educação em 2016/2017 tiveram uma média de 10,2 valores no exame nacional de Português.

Pior só estão os que ingressaram cursos da área de Serviços (Turismo, Serviço Social, Restauração), com uma classificação média de 10 valores.

“Não constitui surpresa. Esta era já uma leitura intuitiva que se fazia a partir das notas mínimas exigidas para determinados cursos e universidades”, disse ao jornal Filomena Viegas, presidente da Associação de Professores de Português.

De acordo com o mesmo documento, as melhores médias no exame de Português são de escolas secundárias em Viseu, Viana do Castelo e Santarém. Por outro lado, os alunos que terminaram o secundário em Castelo Branco, Faro e Açores tiveram os piores resultados.

Recomendadas

Portugueses entre os professores que mais ganham no ensino básico na OCDE

O conjunto completo de dados da OCDE revela uma grande lacuna entre os professores com maior e menor remuneração em todo o mundo. Portugal ocupa a 10º posição do ranking de remunerações anuais para professores do ensino básico.

O mercado acionista de A a Z

Os mercados acionistas utilizam uma terminologia própria. Para ajudar a compreender os conceitos e apoiar os investidores, a Euronext construiu um glossário, que explica o essencial.

Global trends: O que o consumidor procura em 2019

O comportamento dos consumidores mudou e quer adaptar-se aos tempos modernos. Das escolhas mais conscientes à fuga do online, estas são as principais tendências para 2019.
Comentários