Ana Gomes ameaça levar Isabel dos Santos a tribunal

A empresária acusou a antiga eurodeputada de beneficiar de ligação a George Soros e a Rafael Marques, mas Ana Gomes rejeita qualquer envolvimento e ameaça com tribunal. Novo episódio de tensão entre Ana Gomes e Isabel dos Santos uma semana depois do tribunal ter dado razão à ex-eurodeputada no processo movido por Isabel dos Santos.

Cristina Bernardo

Ana Gomes ameaça levar Isabel dos Santos a tribunal pela acusação feita pela empresária angolana numa publicação nas redes sociais.

No domingo, quando começaram a ser divulgadas as notícias sobre os negócios e as operações da empresária angolana por um consórcio internacional de jornalistas, incluindo o Expresso e a SIC em Portugal, Isabel dos Santos foi para as redes sociais reagir.

“George Soros é acionista da Unitel via PTV e deu dinheiro a Rafael Marques, que “partilhou” o gozo do dinheiro com Ana Gomes”, escreveu Isabel dos Santos no Twitter.

George Soros é um milionário norte-americano conhecido por apoiar financeiramente várias causas em todo o mundo através da fundação Open Society, como a assistência aos migrantes que atravessam o Mediterrâneo rumo à Europa. Rafael Marques é um jornalista angolano, conhecido por denunciar casos de corrupção em Angola.

A empresária escreveu esta publicação precisamente quando Ana Gomes comentava na SIC Notícias as revelações sobre os negócios de Isabel dos Santos. Questionada sobre esta acusação, a antiga eurodeputada ameaçou-a com a justiça.

“Acusação falsa, completamente destituída de fundamento. Se a sra. Isabel dos Santos não estiver presa entretanto, eu terei muito gosto em acionar um processo contra ela pelo que ali diz”, afirmou Ana Gomes na SIC Notícias no domingo à noite.

“Não desço ao nível rasteiro deste tweet da sra. engenheira. Nunca, jamais foi financiada por quem seja, designadamente por George Soros. Tenho admiração pelas organizações de George Soros, designadamente a Open Society, com quem lidei muitas vezes em Bruxelas”, afirmou Ana Gomes.

A antiga eurodeputada disse desconhecer se o milionário norte-americano apoia o jornalista angolano, mas disse que, se for verdade, faz sentido.

“Não sei se tem algum fundamento, ter patrocinado o trabalho de Rafael Marques, mas acharia muito bem porque jornalistas de qualidade, de investigação, defensor de direitos humanos, que trabalharam nas condições terríveis que Rafael marques trabalhou durante o regime do pai da sra. Isabel dos Santos, merecem ser apoiados por filantropos que apoiam a democracia e os direitos humanos”, disse.

 


Prossegue assim a tensão entre Isabel dos Santos e Ana Gomes, uma crítica pública dos negócios das empresária. Na passada semana, um tribunal português deu razão à antiga eurodeputada no processo movido por Isabel dos Santos, devido às publicações de Ana Gomes nas redes sociais em que acusou a empresária de se endividar muito “porque, ao liquidar as dívidas, ‘lava que se farta”.

A empresária exigia que Ana Gomes pagasse cinco mil euros por cada dia em que a publicações continuasse online, mas o tribunal considerou que deve prevalecer o “direito à liberdade de expressão e informação” da ex-eurodeputada sobre os direitos de reputação e bom nome de Isabel dos Santos. “Fez-se justiça. Prova que a Justiça portuguesa se quiser funcionar bem, funciona”, disse Ana Gomes ao Jornal Económico.

 

Leia aqui os documentos do Luanda Leaks

“Fez-se justiça”, diz Ana Gomes sobre decisão de tribunal que lhe deu razão em processo movido por Isabel dos Santos

Ler mais
Relacionadas

Guardian: Nome de Isabel dos Santos removido da lista de participantes da cimeira de Davos

A Unitel, detida pela empresária angolana, é um dos patrocinadores do evento, mas os organizadores da cimeira de Davos dizem agora que estão a “reavaliar” a participação da empresa de telecomunicações, avança o jornal britânico The Guardian.

Luanda Leaks: Projeto de biocombustível entre Galp e Petrobras acumulou prejuízos milionários

Uma ‘joint venture’ da estatal brasileira Petrobras com a portuguesa Galp, para produção de biocombustível a partir de óleo de palma, acumulou prejuízos de centenas de milhões de reais sem produção efetiva, segundo uma investigação jornalística.

Luanda Leaks revela como Isabel dos Santos construiu fortuna à custa de Angola

O Luanda Leaks têm 715 mil documentos, entre e-mails, contratos, auditorias, e contas que foram obtidas por uma plataforma de denunciantes em África (PPLAAF), que depois foi partilhada com a ICIJ.

“Racismo” e “preconceito”. Isabel dos Santos reage a investigação jornalística a nível mundial

Os Luanda Leaks têm 715 mil documentos, entre e-mails, contratos, auditorias, e contas que foram obtidas por uma plataforma de denunciantes em África (PPLAAF), que depois foi partilhada com a ICIJ.

“Já se demitiram?”. Ana Gomes reage aos ‘Luanda Leaks’ e pede afastamento de Carlos Costa

Ex-eurodeputada já reagiu à revelação dos ‘Luanda Leaks’ e pergunta se Carlos Costa e Fernando Teixeira dos Santos já se demitiram.

Isabel dos Santos sente “legitimidade de reclamar” porque “outros corruptos” continuam “incólumes”, defende ativista angolano

Para Sedrick de Carvalho, há em Angola “um grande truque de ilusionismo político” e a luta contra a corrupção é uma “pedra de arremesso” num processo de mudanças de poder internas no MPLA, não existindo, de facto, uma mudança no país, mas “uma continuidade, uma mesmice de comportamentos”.
Recomendadas

Isabel dos Santos quis receber salários em dinheiro depois de arresto de contas da Unitel

De acordo com a notícia avançada pelo “Público”, a empresária chegou a avançar um prazo para que o pagamento fosse efetuado “conforme instruções enviadas à sociedade”, ou recorreria à justiça, mas a ameaça foi ignorada,

Eurodeputados pedem inquérito da Autoridade Bancária Europeia ao ‘Luanda Leaks’

Os parlamentares instam também as autoridades nacionais a iniciarem as investigações sobre as revelações do caso ‘Luanda Leaks’ e a intentarem ações contra as partes interessadas que violem as normas em matéria de luta contra o branqueamento de capitais.

PGR angolana admite mandado de captura contra Isabel dos Santos em coordenação com Portugal

“Temos estado a trabalhar em sintonia com as autoridades portuguesas, todo o trabalho que os últimos dias veio a público é um trabalho que está a ser feito em sintonia total entre Angola e Portugal a nível das entidades judiciárias, e se por acaso haver necessidade de chegarmos a esse ponto (emissão de mandado) em conjunto veremos como proceder”, afirmou hoje o PGR angolano, Hélder Pitta Grós, à Lusa.
Comentários