Ana Rita Bessa: “É muito difícil fazer oposição no Parlamento quando nas redes sociais a oposição vem do próprio partido”

Deputada referiu-se à “fotografia muito difícil” em que apareceu quando o CDS-PP se juntou ao PSD, PCP e Bloco de Esquerda aprovaram a reposição integral do tempo de serviço aos professores na Comissão Parlamentar de Educação.

Ana Rita Bessa
Deputada do CDS-PP no Congresso de Aveiro

A deputada Ana Rita Bessa confirmou na madrugada de domingo que vai votar em João Almeida, seu colega de grupo parlamentar, para a presidência do CDS-PP, reconhecendo-lhe, entre outras qualidades, “capacidade de regenerar e de unir o partido”, mas a sua intervenção no congresso de Aveiro ficou sobretudo marcada pela reação aos ataques vindos de outras candidaturas à direção partidária de que fez parte e ao grupo parlamentar que continua a integrar. “É muito difícil fazer oposição no Parlamento quando nas redes sociais a oposição vem do nosso próprio partido”, disse a deputada, recordando as críticas a alegados desvios ideológicos.

Depois de agradecer a Paulo Portas e a Assunção Cristas a confiança que lhe deram, Ana Rita Bessa abordou o episódio da fotografia em que apareceu na Comissão Parlamentar de Educação, ao lado de deputados do Bloco de Esquerda, PCP e PSD, a aprovar a reposição integral do tempo de serviço aos professores. “Sei que olham para mim ainda muito presa a uma fotografia muito difícil”, disse a deputada, que embora sublinhe que “o assunto dos professores tem uma história longa e complexa” reafirmou a sua “quota parte dessa responsabilidade”.

O apoio de Ana Rita Bessa a João Almeida veio na sequência do que foi prestado ao único deputado a candidatar-se à sucessão de Assunção Cristas pelos ex-deputados Nuno Magalhães, Helder Amaral e Patrícia Fonseca.

Recomendadas

Prémios na TAP: “Remeto para as palavras do ministro” que considerou “inaceitável” reage Miguel Frasquilho

O presidente do conselho de administração da TAP sinalizou ao Jornal Económico concordar com as críticas do ministro das Infraestruturas sobre novo pagamento de prémios a uma minoria de trabalhadores da TAP apesar da companhia ter voltado a registar prejuízos que se estimam acima dos 100 milhões de euros. Para Pedro Nuno Santos é “inaceitável” e “uma falta de respeito” o pagamento de prémios a uma minoria de trabalhadores da TAP, sendo uma empresa que continua a dar prejuízos que se estimam, em 2019, acima dos 100 milhões de euros.

Despenalização da eutanásia pode vir a ser aprovada hoje no Parlamento

Caso venha a comprovar-se a aprovação de, pelo menos, um dos projetos de lei, a Assembleia da República abre a porta a que Portugal se torne o quinto país europeu onde a morte medicamente assistida é permitida.

Embaixadores da União Europeia falham acordo sobre mandato para negociar relação com Londres

Os embaixadores dos países da União Europeia (UE) falharam esta quarta-feira um acordo sobre o mandato para as negociações da nova relação com o Reino Unido após o ‘Brexit’, avançaram fontes comunitárias citadas pela agência espanhola EFE.
Comentários