Angola vai aos mercados buscar até 3 mil milhões de dólares

Numa nota enviada aos clientes, e a que a Lusa teve acesso, o gabinete de estudos do Banco Fomento Angola diz que a equipa do Ministério das Finanças reuniu-se com vários investidores na semana passada em Nova Iorque, numa operação que será apoiada pelo Deutsche Bank, ICBC e Standard Chartered.

O Governo de Angola prepara-se para angariar até 3 mil milhões de dólares nos mercados internacionais ainda este ano ou no princípio de 2020, tendo já reunido com investidores em Nova Iorque na semana passada.

Numa nota enviada aos clientes, e a que a Lusa teve acesso, o gabinete de estudos do Banco Fomento Angola diz que a equipa do Ministério das Finanças reuniu-se com vários investidores na semana passada em Nova Iorque, numa operação que será apoiada pelo Deutsche Bank, ICBC e Standard Chartered.

A autorização presidencial para esta emissão foi publicada a 7 de novembro, e nela pode ler-se que “é autorizada a ministra das Finanças, no âmbito do Programa Global de Médio Prazo para a Emissão de Títulos de Dívida Soberana, a emitir títulos de dívida soberana nos mercados internacionais sob a forma de Eurobonds, até ao montante de 3 mil milhões de dólares [2,71 mil milhões de euros] ou o equivalente em outros moedas, em uma ou mais séries”.

A assunção de mais este encargos deverá elevar o rácio da dívida pública em mais de três pontos percentuais face ao PIB de Angola, que o FMI estima que valha cerca de 90 mil milhões de dólares.

Ainda segundo os dados do Fundo, divulgados em outubro, este rácio deverá ficar, no final deste ano, nos 95% do PIB.

Recomendadas

Produção industrial dá sinais de recuperação em maio na UE e zona euro, mas ainda regista quedas homólogas abruptas

Após dois meses de forte contração, devido aos efeitos da pandemia da Covid-19, a produção industrial esboça uma recuperação na Unirão Europeia e na zona euro no mês de maio, de acordo com os dados divulgados pelo Eurostat esta terça-feira, 14 de julho.

EUA realizaram centenas de voos de deportação com infetados por Covid-19

O jornal New York Times investigou mais de 750 voos nacionais da ICE, além de outros 200 com destino a outros países, entre março e junho, a maioria para Guatemala, El Salvador e Honduras.

Japão culpa China pela “desinformação” sobre novo coronavírus

Pequim, acusou o Japão, tem também “continuado incansavelmente ações unilaterais para impor uma mudança no ‘status quo’ nas Ilhas Senkaku”, administradas por Tóquio, pode ler-se no livro.
Comentários