ANJAP realiza conferência sobre Regulamento Geral de Proteção de Dados

Realiza-se amanhã a primeira conferência organizada pela atual delegação regional de Lisboa da ANJAP.

Um ano após a entrada em vigor do Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD), e com a legislação nacional correspondente a ser discutida na Assembleia da República, a Delegação Regional de Lisboa e a Comissão de Propriedade Intelectual e Novas Tecnologias da Associação Nacional de Jovens Advogados Portugueses (ANJAP) organizam uma conferência intitulada “Um ano de RGPD: Balanço e Futuro”, a qual se realizará nesta quinta-feira, 30 de maio, entre as 09h00 e as 11h00, no auditório da SRS Advogados, situado na capital.

Trata-se da primeira conferência organizada pela atual delegação regional de Lisboa da ANJAP em colaboração com a Comissão de Propriedade Intelectual e Novas Tecnologias da ANJAP, a qual nasceu da necessidade sentida por estas entidades de apresentar uma perspetiva prática deste primeiro ano de vigência do RGPD e de debater o que o futuro poderá trazer nestas matérias.

São oradores convidados Inês Antas de Barros (advogada na Vieira de Almeida), Mafalda Aguiar (advogada na SRS Advogados) e Andreia da Silva Neto (deputada à Assembleia da República pelo PSD e coordenadora do Grupo de Trabalho do RGPD), sendo a moderação efetuada por Márcia Martinho da Rosa (coordenadora da Comissão de Propriedade Intelectual e Novas Tecnologias da ANJAP e advogada na PRA – Raposo, Sá Miranda e Associados) e a abertura e encerramento estará a cargo de Manuel Ferreira Mendes (presidente da Direção Regional de Lisboa da ANJAP e advogado na Costa Pinto Advogados) e Filipe Bismarck (presidente da direção nacional da ANJAP, na foto), respetivamente.

Recomendadas

PremiumNegócio da banca passa cada vez mais por novos serviços

O responsável pela área de banca e setor financeiro da VdA diz que os bancos estão a deixar de ser bancos de balanço, que concedem crédito e recebem depósitos, para passarem a ser “bancos de serviço”. O que, defende, cria um novo paradigma.

Saiba o que pode fazer no caso de não ter meios para contratar os serviços de um advogado

O requerimento de apoio judiciário deve ser apresentado em qualquer serviço de atendimento ao público da Segurança Social, mediante o preenchimento de um formulário próprio.

Justiça ‘reality show’

Do que aqui se trata não é da questão da violação do segredo de justiça: essa existe, todos sabemos. Aquilo a que me refiro é a processos que fruto da inércia investigatória das autoridades, acidental ou propositada, podem ser licitamente acedidos e divulgados.
Comentários