Antigo CEO da Wirecard pagou caução de cinco milhões de euros para sair da prisão

O antigo presidente executivo da Wirecard, Markus Braun, pagou cinco milhões de euros para voltar à liberdade, depois de se ter entregado à polícia de Munique, na Alemanha, na segunda-feira, tendo sido posteriormente detido por suspeita de crimes de fraude.

Markus Braun, antigo CEO da Wirecard, pagou esta tarde a fiança que tinha sido imposta por um juiz daquela cidade alemã, no valor de cinco milhões de euros, segundo o “Financial Times”

O antigo CEO da Wirecard entregou-se às autoridades na segunda-feira policiais depois de ter sido emitido um mandato de captura. O antigo CEO da fintech alemã é suspeito por ter cometido crimes de fraude, nos quais terá inflacionado as contas da empresa em 1,9 mil milhões de euros para atrair investidores e clientes.

O ‘buraco’ nas contas foi descoberto na semana passada depois de uma auditoria, tendo Markus Braun apresentado a demissão na sexta-feira. Mas as autoridades policiais suspeitam que o antigo dirigente não terá atuado sozinho, tendo cometido os crimes com o apoio da anterior equipa de gestão que, de acordo com o “Financial Times”, também está a ser investigada.

Ontem, a Wirecard disse que provavelmente o dinheiro não existe e que não representava de forma fidedigna a maior fonte de lucros da empresa.

O regulador alemão, o BaFin, disse que o escândalo era um “desastre completo” e uma “vergonha” para Alemanha.

Relacionadas

Antigo CEO da Wirecard foi detido

Depois de ter sido emitido um mandato contra Markus Braun, o antigo presidente executivo da Wirecard entregou-se à polícia, em Munique. As autoridades suspeitam que atuado em conjunto com a antiga equipa de gestão para ‘engordar’ o balancete da fintech alemã em 1,9 mil milhões de euros.
Recomendadas

Ex-autarca do Porto diz que volumetria do projeto do El Corte Inglés é “absurda”

No mês passado, o Bloco de Esquerda denunciou que a Câmara do Porto “abdicou de 31 mil m2 para espaços verdes no projeto do Corte Inglês na Boavista, por considerar não serem necessários devido à proximidade da Rotunda da Boavista”. Para Nuno Cardoso, “tem uma densidade absolutamente desmesurada”.

PremiumPortugal é um mercado “importante” para a chinesa Oppo

A fabricante de smartphones quer crescer na Europa e vai investir 6 mil milhões em ‘R&D’ em três anos. Em Portugal, “reforçar a presença” deve passar por acordos com operadores e retalhistas.

PremiumEDP Renováveis vai construir centrais eólicas marítimas na Grécia

EDPR forjou parceria com companhia helénica para instalar 1,5 gigawatts nos mares gregos. Esta é a segunda parceria fechada em cinco meses na Grécia.
Comentários