António Costa chama presidente da Partex para negociar plano de recuperação da economia

o Chefe do Executivo já terá informado todos os ministros do convite feito a António Costa Silva, que estará de saída da petrolífera, tendo o gestor já reunido com alguns dos titulares das pastas. Não integra oficialmente o Governo, mas o objetivo será preparar os planos de investimento e reformas que terão que ser entregues à Comissão Europeia e a base do Orçamento para 2021.

O primeiro-ministro, António Costa, convidou António Costa Silva, atualmente presidente executivo da Partex, para estudar o plano de recuperação da economia, analisando as necessidades estruturais do país com todos os ministros, os partidos e os parceiros sociais, noticia o jornal “Expresso” na edição deste sábado.

Segundo o semanário, o Chefe do Executivo já terá informado todos os ministros do convite feito a António Costa Silva, que estará de saída da petrolífera, que a Fundação Calouste Gulbenkian vendeu aos tailandeses da PTT Exploration and Production por 622 milhões de dólares em novembro de 2019, tendo o gestor já reunido com alguns dos titulares das pastas. Para já, não integra oficialmente o Governo, mas o objetivo será preparar não só os planos de investimento e reformas que terão que ser entregues à Comissão Europeia para aceder às verbas do Mecanismo de Recuperação e Resiliência, como a base do Orçamento do Estado para 2021.

O “Expresso” diz que António Costa Silva não estará na calha para suceder a Mário Centeno nas Finanças, devido à formação académica e experiência profissional, mas que não é a primeira vez que o primeiro-ministro chama um outsider para construir os programas ou apoiar negociações do Governo, que mais tarde entram para o Executivo. Neste cenário, dá força à ideia de que Pedro Siza Vieira poderá transitar da pasta da Economia para as Finanças, podendo ser sucedido por António Costa Silva.

Recomendadas

Parlamento anula transferência de 476,6 milhões do Fundo de Resolução para Novo Banco

O Orçamento de Estado acaba de aprovar a bandeira do Bloco de Esquerda de impedir a injeção do Fundo de Resolução dos 476,6 milhões de euros para o Novo Banco. Esta medida deixa o banco numa situação delicada para cumprir os compromissos de limpeza do balanço assumidos com Bruxelas.

Governo dos Açores recusa demissão de diretor regional do anterior executivo

Numa missiva a que agência Lusa teve acesso, datada de 24 de novembro, Tiago Lopes solicitou a cessação de funções de diretor regional da Saúde e, por inerência, da Autoridade de Saúde Regional, cargos que ocupou durante o governo socialista.

PCP vai abster-se na votação final global do OE2021

Depois de ter contribuído para a viabilização no OE2021 na generalidade, através da abstenção, o PCP faz uma avaliação positiva das negociações na especialidade e do “conjunto alargado de propostas” comunistas que foram inscritas no texto final.
Comentários