António Costa e Netanyahu analisam formas de cooperação na investigação científica

Os primeiros-ministros de Portugal, António Costa, e de Israel, Benjamin Netanyahu, analisaram esta quinta-feira formas de cooperação na investigação científica, designadamente em projetos para o aproveitamento da água, disse à agência Lusa fonte oficial do executivo português.

Cristina Bernardo

A reunião entre os dois chefes de Governo, em São Bento, Lisboa, durou cerca de uma hora e teve como temática central, segundo o Governo português, possíveis áreas para a cooperação ao nível da ciência, economia e ambiente.

“Foi uma reunião de cortesia, discutiram-se as relações bilaterais e equacionaram-se formas de cooperação em áreas como a inovação, a ciência e a água”, adiantou a mesma fonte.

Benjamin Netanyahu chegou a São Bento, às 15:04, sendo recebido logo à entrada por António Costa, momento em que o primeiro-ministro de Israel elogiou o dia de sol em Lisboa.

Pouco depois, numa das salas de reuniões da residência oficial do primeiro-ministro e já na presença do ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, a capital portuguesa voltou a ser tema de uma breve troca de impressões entre António Costa e o líder do executivo israelita.

Benjamin Netanyahu chegou à capital portuguesa na quarta-feira, tendo reunido nesse mesmo dia com o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo.

No final dessa reunião, o primeiro-ministro israelita elogiou a decisão dos Estados Unidos de aplicar sanções contra o Irão, e defendeu que a pressão financeira subsequente fez aumentar os protestos contra a influência de Teerão no Médio Oriente.

Benjamin Netanyahu afirmou que o Irão era o primeiro, o segundo e o terceiro assunto a colocar.

“Enquanto falamos, o Irão está a incrementar a sua agressão”, acusou, acrescentando: “Estamos ativamente envolvidos em contrariar essa agressão”.

Israel considera o Irão o seu principal inimigo por causa do envolvimento do regime de Teerão na vizinha Síria, e no apoio a grupos militares na região do Médio Oriente e do Golfo Pérsico. Israel também acusa o Irão de pretender dotar-se de uma bomba nuclear, uma acusação negada pelos iranianos.

Em matéria de política interna, designadamente sobre a polémica causada por este encontro entre Pompeo e Netanyahu se ter realizado em Portugal, sem o acompanhamento por parte de autoridades nacional, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, procurou desdramatizar o caráter da reunião.

Falando aos jornalistas, Marcelo Rebelo de Sousa alegou que esse encontro, “é uma realidade que não passa ao nível do chefe de estado [português]”.

“Foi um encontro entre políticos desses dois países que escolheram o território português para se reunirem”, acrescentou o Presidente da República, à margem de uma visita a uma escola de Vila do Conde, no distrito do Porto.

Marcelo de Rebelo de Sousa frisou depois que “não é a primeira vez que líderes de outros países escolhem Portugal para se reunirem”, fazendo então um paralelismo entre este encontro de Mike Pompeo e Benjamin Netanyahu, com outros que aconteceram no passado.

Ler mais
Relacionadas

Pompeo e Netanyahu reúnem-se em Lisboa com jornalistas portugueses mantidos longe

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, e o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, reuniram-se esta quinta-feira em Lisboa, mas a imprensa portuguesa foi impedida de fotografar o encontro ou registar declarações, reservadas aos jornalistas das duas delegações.

António Costa recebe hoje Mike Pompeo e Benjamin Netanyahu

O primeiro-ministro português, Antonio Costa, recebe hoje, em encontros separados, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, e o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.

PCP diz que Mike Pompeo e Benjamin Netanyahu “não são bem-vindos” em Portugal

Os comunistas defendem que a presença do secretário de Estado dos Estados Unidos e o primeiro-ministro de Israel é uma afronta aos princípios da Constituição Portuguesa e compromete o país com as “reiteradas violações do direito internacional” dos Estados Unidos e de Israel.
Recomendadas
André Ventura no Infarmed

Chega quer reuniões no Infarmed pelo menos até ao fim do ano com especialistas aprovados pelo Parlamento

Projeto de resolução apresentado por André Ventura recomenda ao Governo manutenção de reuniões regulares no Infarmed, tendo os partidos políticos como interlocutores cinco especialistas com “objetividade, independência e mérito científico” para acompanhar evolução da pandemia.

Manifesto considera que investimento do Governo em hidrogénio é “aventura” em que o país não pode embarcar

O grupo composto por mais de 30 especialistas considera que não existe uma “racionalidade económica” para realizar um investimento na produção de hidrogénio. “O país não pode mais uma vez embarcar numa aventura como a Estratégia do Hidrogénio, que absorverá uma parte significativa dos recursos”, apelam.
antónio_costa_silva_partex_4

Da ferrovia à reindustrialização: Conheça as dez propostas de Costa e Silva para a retoma da economia

Contratado pelo Governo para coordenar a estratégia de retoma da economia pós-Covid, o gestor terminou o plano no passado dia 5 de julho e esta quinta-feira apresentou-o ao Executivo. Estes são os traços gerais da proposta de António Costa e Silva.
Comentários