António Costa saúda otimismo do CFP mas mantém previsões do governo

O primeiro-ministro saudou o otimismo do Conselho de Finanças Públicas (CFP) e do governador do Banco de Portugal, mas assegurou que o Governo mantém as previsões do plano de estabilidade.

O primeiro-ministro, António Costa, saudou hoje o otimismo do Conselho de Finanças Públicas (CFP) e do governador do Banco de Portugal, mas assegurou que o Governo mantém as previsões do plano de estabilidade.

“Bom, eu sabia que havia de haver um dia em que o Conselho de Finanças Públicas havia de ser mais otimista que o Governo”, disse o primeiro-ministro à imprensa após um encontro em Lisboa com o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel.

António Costa respondia a uma pergunta sobre as previsões hoje avançadas pelo CFP – que apontam para que já este ano Portugal deixe de ter défice para atingir um excedente orçamental de 0,1% e para um crescimento de 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB).

“Esperemos que [esse] otimismo […] se possa confirmar. Para já, mantemos as nossas previsões, que, como sempre, são conservadoras, […] de alcançar um défice de 0,2 e as metas de crescimento que tínhamos fixado no plano de estabilidade”, afirmou.

O primeiro-ministro foi ainda questionado sobre o processo de formação de governo, na sequência das eleições de domingo e dos contactos que manteve nos últimos dias, tendo respondido que considera ter todas as condições para iniciar funções à frente de um executivo para quatro anos.

“A avaliação que faço dos contactos que mantive […] é que o Governo tem todas as condições para iniciar funções, apresentar o seu programa na Assembleia da República e poder governar com horizonte de estabilidade ao longo da legislatura”, disse.

Ler mais
Relacionadas

António Costa diz que conversações com Bloco de Esquerda serão avaliadas na próxima semana

Primeiro-ministro indigitado diz confiar na “vontade de estabilidade política” dos antigos parceiros e aponta 21 ou 22 de outubro como data de constituição do próximo Governo.

“O PCP tem o seu próprio programa”. Jerónimo de Sousa rejeita acordo escrito com o PS

“Há quatro anos foi exigido um acordo escrito por parte do Presidente da República”. Jerónimo de Sousa realçou que o quadro não é esse e que não há nenhum obstáculo à formação de um governo socialista.
Recomendadas

Dia internacional da gaguez: “Vou passar o dia a gaguejar em modo comemoração”, diz Joacine Katar Moreira

A deputada eleita pelo Livre colocou a gaguez na ordem do dia em Portugal. O seu partido vai pedir ao Parlamento para conceder tolerância de tempo à deputada, invocando um “tratamento igualitário e igualdade de oportunidades” para expor as suas ideias.

Tribunal Constitucional rejeita pedido do PSD sobre votos nulos da emigração

A tomada de posse da Assembleia da República e do Governo pode acontecer ainda esta semana.

Negrão diz que Rio como líder do partido e da bancada é “boa solução a curto prazo”

O líder parlamentar cessante considera que a decisão do atual presidente do PSD, Rui Rio, em acumular a liderança do partido com a do grupo parlamentar não é uma boa solução a longo prazo, mas vai permitir uma oposição “acutilante” no curto prazo.
Comentários