António Lagartixo torna-se CEO da Deloitte Portugal

A partir deste sábado, o gestor português é o novo ‘managing partner’ da consultora, substituindo Luís Magalhães.

A Deloitte Portugal tem um novo CEO a partir deste sábado. António Lagartixo assume, a 1 de junho, a liderança da consultora no país, substituindo Luís Magalhães. Responsável pela coordenação global da unidade de negócio de Produtos, Serviços, Utilidades e Recursos, António Lagartixo pertencia ao conselho executivo da Deloitte há quatro anos.

António Lagartixo considera que o futuro da empresa será marcado pela “continuidade” e por “transformações necessárias”. “As pessoas são o núcleo essencial duma atividade como a da Deloitte”, afirma, acrescentado que está convicto de que aquilo que define a Deloitte e os seus colaboradores “são os valores que defendem, tais como a integridade, rigor, inclusão e colaboração”, mas também a “excelência técnica” e “a diversidade das experiências profissionais”.

O novo rosto principal da Deloitte tem trabalho na área de corporate finance e consultoria e começou a carreira na Arthur Andersen, tendo também feito parte da equipa fundadora da consultora Maksen, em 2003, e acabado por presidir à mesma quatro anos mais tarde. Licenciado em Gestão de Empresas pela Universidade Lusíada de Lisboa, conta uma formação em Gestão Estratégica pela Universidade Católica Portuguesa e outra em Professional Services Firms Leadership pela Harvard Business School, por exemplo.

O seu nome já havia sido apontado, no início do ano, como sucessor de Luís Magalhães, quando o jornal online “Eco” noticiou que a nomeação do próximo managing partner estava fechada “há meses”.

Recomendadas

Tecnologia e ‘know how’ são decisivos para os escritórios de advogados nacionais

As sociedades de média e grande dimensão têm apostado na integração de pequenas firmas que trazem know how em áreas chave. E ninguém fica indiferente ao desafio das novas tecnologias.

Um novo paradigma: jurista global e digital

Não menos importante do que preparar os novos juristas para trabalhar num mundo global, é desenvolver neles um forte sentido crítico e a consciência de que o Estado de Direito democrático não é um dado adquirido.

PLMJ recebe evento da Startupbootcamp

Esta terça-feira, 15 a 20 startups realizam diversos pitches nesta sociedade de advogados.
Comentários