Apartamento de Sócrates em Paris custa mil euros por noite

A procura é elevada – durante quase todo o mês de setembro e nas semanas de outubro esteve sempre ocupado.

O engenheiro civil Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates, está a arrendar o apartamento em Paris, que a acusação da designada ‘Operação Marquês’ alega ser do antigo primeiro-ministro português, por cerca de mil euros por noite, escreve o Correio da Manhã na edição desta segunda-feira.

A luxuosa residência, situada na Avenue du Président Wilson, tem 240 metros quadrados e foi adquirida por 2,8 milhões de euros em agosto de 2012. A acusação do Ministério Público refere que “vender ou arrendar o apartamento” era uma das indicações dadas pelo antigo primeiro-ministro ao amigo Carlos Santos Silva, para que os jornalistas ou a Justiça não soubessem da existência o imóvel, apurou o mesmo matutino.

Segundo o CM, arrendar este apartamento durante um mês inteiro pode custar 30 mil euros, com taxas de serviço e limpeza, um valor que fica acima do preço de mercado, mesmo no local em que se encontra. Ainda assim, a procura é elevada – durante quase todo o mês de setembro e nas semanas de outubro esteve sempre ocupado.

No entanto, o preço de venda – 4,5 milhões de euros – era muito alto e, juntamente com o facto de José Sócrates ter sido detido, levou ao desinteresse por parte de potenciais clientes e ao bloquei do plano.

Relacionadas

Sócrates arrisca pena de prisão superior a dez anos

Cúmulo jurídico da legislação portuguesa faz com que os crimes de que o ex-primeiro-ministro é acusado impliquem pena de prisão efetiva durante pelo menos uma década, caso seja condenado.

Caixa Geral de Depósitos tapava buracos na conta à ordem de Sócrates

A conta à ordem do antigo primeiro ministro, no banco público, subia e descia várias vezes em 24 horas e tinha entradas e saídas de elevadas verbas a uma rapidez que saltava à vista.
Recomendadas
luís_menezes_leitão_bastonário_ordem_advogados

Poder da ACT para travar despedimentos ilegais “é inconstitucional”, diz Ordem dos Advogados

O Ordem considera que a decisão, prevista no decreto que prorroga o Estado de Emergência em Portugal, viola a competência dos tribunais de trabalho. “É uma grave violação do princípio da separação de poderes”, defende a entidade.
lucilia_gago_procuradora_geral_republica

PGR quer ser informada sobre atuações divergentes dos magistrados

Lucília Gago pediu aos procuradores gerais regionais que comuniquem “eventuais atuações divergentes por parte de magistrados do Ministério Público” na análise de casos de detenções por desobediência.

PJ detém três inspetores do SEF suspeitos da morte de um ucraniano no aeroporto

A Polícia Judiciária deteve três presumíveis autores de crime de homicídio de um cidadão ucraniano de que terá sido vítima de agressões e asfixia dentro do Aeroporto de Lisboa. Os suspeitos têm 42, 43 e 47 anos.
Comentários