Apesar de Biden, Israel continua a ocupar a Palestina

São mais 540 novas casas que estão em construção em Jerusalém Oriental. Para algumas ONG, o novo bairro de Har Homa East torna mais difícil a criação de uma eventual capital palestiniana em Jerusalém.

Uma comissão de planeamento israelita lançou esta tarde 540 novas unidades habitacionais num bairro de Jerusalém Oriental, naquela que é a primeira construção judaica na parte oriental da cidade – supostamente reservada aos palestinianos – desde a tomada de posse do novo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden.

As novas construções irão estender em muito os limites do bairro judeu – e o seu caráter polémico fez com que tivessem sido adiadas vários meses. Mas, quando o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu anunciou, na véspera das eleições de março de 2020, que suspendera as restrições à construção, o bairro avançou mesmo. “Coexistência em Jerusalém”, declarou Netanyahu: “Jerusalém está a ser construída e ampliada. Estamos a unir toda a Jerusalém sob a minha autoridade”.

Har Homa, assim se chama o bairro, vai criar uma faixa contínua de bairros judeus na área, o que levou algumas ONG conotadas com a esquerda israelita (nomeadamente a Paz Agora) a argumentar que essa extensão pode, no futuro, impedir seriamente a criação de uma eventual capital palestiniana em Jerusalém. A extensão do Har Homa junta-o a outro polémico bairro planeado a nordeste, o bairro Givat Hamatos (1.257 fogos), que assim separa os bairros palestinianos de Beit Safafa e Sur Baher.

De acordo com a ONG Ir Amim, igualmente de esquerda, as 540 unidades em Har Homa East são as primeiras unidades a serem aprovadas na Linha Verde de Jerusalém Oriental desde que Biden substituiu o seu predecessor Donald Trump, claramente favorável à extensão dos colonatos.

“O avanço do plano é um sinal preocupante para aqueles que acreditavam que a mudança no poder nos Estados Unidos forçaria Israel a restringir a construção de colonatos”, disse o um responsável do Ir Amim, Aviv Tatarsky, em comunicado.

Entretanto, a comunicação social judaica avança que Joe Biden fez saber ao governo israelita que não aceita medidas unilaterais – como a construção de novos colonatos – que possam colocar em causa o diálogo com os palestinianos.

Israel reivindica a posse de toda a Jerusalém, incluindo os bairros capturados na Guerra dos Seis Dias (1967), como sua capital indivisa. Os palestinianos reivindicam Jerusalém Oriental, incluindo o Monte do Templo e a Cidade Velha, como a capital de um futuro Estado.

A comunidade internacional, incluindo as Nações Unidas e a União Europeia, considera os bairros judeus de Jerusalém Oriental ilegais segundo o direito internacional. Israel contesta essa afirmação, argumentando que tem total soberania sobre toda a Jerusalém.

Ler mais
Recomendadas

Israel: Netanyahu tenta apoios para a eleição direta do primeiro-ministro

O ainda primeiro-ministro não desiste de ‘inventar’ cenários para se manter no poder. Desta vez, está a tentar encontrar apoio para a eleição direta do primeiro-ministro.

Jair Bolsonaro acredita que o Brasil vai alcançar neutralidade carbónica em 2050

Esta é a meta mais ambiciosa estabelecida pelo líder de extrema direita que parece ter mudado a sua posição relativamente à crise climática.

Estados Unidos decidem aumentar cadência da redução de emissões poluentes

Como se esperava, a cimeira do Dia da Terra motivou vários países a aumentarem o ritmo de redução das emissões de gazes poluentes. Mas as indústrias mais poluentes já sinalizaram que é preciso financiar as mudanças.
Comentários