Aplicação “salva” mil refeições de irem para o lixo

A ‘app’ dinamarquesa Too Good To Go chegou a Portugal no final do mês passado e permite aos restaurantes, supermercados e hotéis colocarem à venda os excedentes alimentares no final do turno e/ou dia.

A aplicação móvel Too Good to Go está há apenas duas semanas em Portugal mas já “salvou” mil refeições de irem para o lixo. A app dinamarquesa, de combate ao desperdício alimentar, está a conquistar os utilizadores portugueses por permitir que restaurantes, supermercados e hotéis coloquem à venda os excedentes alimentares no final do turno e/ou dia.

A venda é possível através de um marketplace online (espaço de comércio eletrónico) e das chamadas «magic boxes» (“caixas surpresa” criadas pelos estabelecimentos) que, depois, são entregues aos consumidores.

Em Lisboa, mais de 70 estabelecimentos aderiram, entre os quais os restaurantes Cotidiano, Treestory, Tiffin Café, La Pizza di Nanna, Vegan Junkies e as pastelarias Café com Calma, Pão de Canela, Rolls Brunch & Café. No entanto, as “caixas mágicas” mais procuradas são as do Sushi at Home, Confeitaria Valbom, Koi Sushi, Tartine, Aruki Sushi, Danish Pastry Shop, Peking Peking, Copenhagen Coffee Lab, Pastelaria Carrocel e Polpetta.

“A maior parte dos utilizadores são de Lisboa, no entanto há pessoas de outras regiões que já instalaram a aplicação e que estão ansiosas por experimentar assim que fique disponível nas suas cidades e/ou distritos”, afirma Madalena Rugeroni, ‘country manager’ da Too Good To Go Portugal. “Prova que os portugueses estão cada vez mais preocupados com o tema do desperdício alimentar e em adotar um consumo consciente e sustentável”, assegura.

A Too Good To Go já está presente em 13 países europeus: Dinamarca, Noruega, Holanda, Alemanha, Reino Unido, França, Bélgica, Suíça, Espanha, Polónia, Itália, Áustria e agora Portugal. No total, conta com 31 mil estabelecimentos parceiros e mais de 17 milhões de utilizadores que salvaram até ao momento mais de 23 milhões de refeições.

Recomendadas

Portuguesas HiJiffy e Live Electric Tours vencem prémios da Organização Mundial do Turismo

As startups foram duas das premiadas da última ‘UNWTO Tourism Startup Competition’. “Recebemos propostas de mais de 150 países e, nesta segunda edição, são de empresas emergentes mais maduras. De facto, 10% das empresas que se apresentaram faturaram mais de 500 mil euros em 2018 ”, disse o CEO da Globalia, Javier Hidalgo.

Visa vai comprar startup Plaid por 4,8 mil milhões de euros

A fintech de São Francisco desenvolve API (interfaces de programação de aplicações). A operação deverá ficar concluída nos próximos três a seis meses.

“Mobilizar uma equipa com várias competências é o maior desafio das startups”, diz professor da Nova

O Programa de Empreendedorismo da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova começa esta terça-feira. Lisboa recebe Frank Rimalovski, diretor do Instituto Empreendedor da New York University, para dar ‘luzes’ aos alunos sobre como materializar uma ideia.
Comentários