PremiumApostas online: Mercado vai continuar a crescer em 2021

Com casas de apostas fechadas e uma nova restrição de horários para a publicidade televisiva, as principais operadoras em Portugal decidiram reforçar a sua presença online. Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos antecipa que a tendência de crescimento observada em 2020 se mantenha também este ano.

om a chegada da pandemia e consequente confinamento, muitos foram os países que adotaram medidas para controlar a promoção e publicidade do mercado dos jogos e apostas online. Enquanto na Finlândia, Itália e Bélgica a publicidade televisiva foi proibida, em Espanha e por cá assistiu-se a uma restrição de horários.

Esta mudança, introduzida pelo Manual de Boas Práticas, sucedeu-se em maio de 2020, quando o Serviço de Regulação e Inspeção de Jogos (SRIJ), uma entidade do Estado tutelada pela Secretaria de Estado do Turismo, decretou que os casinos e empresas que exploram os jogos online não devem fazer publicidade na televisão e na rádio entre as 7h00 e as 22h30, remetendo assim este tipo de anúncios para a noite e madrugada. Além disso, não deve haver publicidade ao jogo “nem 30 minutos antes ou após um programa especialmente dedicado a crianças e jovens”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Paragem da Liga portuguesa a 10 jornadas do fim com impacto significativo nas SADs na época passada, estima EY

De acordo com a análise de Miguel Farinha, partner e líder de Strategy and Transactions da EY, que consta da quarta edição do Anuário do Futebol Profissional Português, produzido pela EY, numa parceria com a Liga Portugal, este valor “fica aquém da real dimensão da indústria, uma vez que não contempla impactos indiretos e induzidos”.

Diminuição de receitas no futebol português reduziu contribuição para o PIB na época passada para 494 milhões (com áudio)

Em comparação com a temporada de 2018/19, e de acordo com o anuário da Liga, a época passada trouxe uma quebra de 55 milhões de euros na contribuição do PIB, com a seguinte distribuição pelas três Ligas consideradas: Liga NOS (480 milhões); Liga Pro (9 milhões) e Liga Portugal (5 milhões).

Futebol em Portugal pagou mais de 142 milhões de euros em impostos na época passada

Valor produzido em impostos representa uma diminuição de 4,8% face à temporada de 2018/19, época em que se registou uma contribuição a este nível de 150 milhões de euros.
Comentários