Face Oculta: Armando Vara perde recurso e deverá ser preso

O antigo ministro socialista perdeu o recurso no Tribunal Constitucional e deverá cumprir, pelo menos, metade dos cinco anos de prisão efetiva a que foi condenado pelo Tribunal da Relação do Porto.

O antigo ministro socialista Armando Vara perdeu o recurso no Tribunal Constitucional (TC), no âmbito do processo “Face Oculta”, e deverá cumprir, pelo menos, metade dos cinco anos de prisão efetiva a que foi condenado, de acordo com o “Correio da Manhã” (CM) e o Jornal de Notícias (JN).

Fontes próximas de Armando Vara disseram aos matutinos que todos os recursos foram esgotados, pelo que o arguido se entregará mal transite a decisão e irá para a cadeia da Carregueira, refere a edição deste sábado do CM e do JN.

O Tribunal da Relação do Porto manteve a condenação de cinco anos de prisão efetiva do antigo vice-presidente do BCP neste processo. No passado mês de julho, em declarações à agência Lusa, o advogado Tiago Rodrigues Bastos confirmou que iria “apresentar uma reclamação” para a conferência de juízes do TC, para evitar que começasse imediatamente a cumprir a pena.

Recorde-se também que, em setembro, o jornal “Público” avançou que o ex-governante pretendia que provas como elementos bancários, escutas e documentos apreendidos em buscas fossem invalidadas no processo que envolve José Sócrates: a ‘Operação Marquês’. A defesa do antigo administrador bancário teria defendido que a atribuição do caso ao juiz Carlos Alexandre, em 2014, adveio de “manipulação dos procedimentos de distribuição” dos processos e “em grave violação das regras legais”.

Relacionadas

Face Oculta: Armando Vara vai reclamar da decisão do Constitucional

O antigo ministro vai reclamar da decisão do Tribunal Constitucional que rejeitou o recurso da sua condenação a cinco anos de prisão efetiva, no âmbito do processo Face Oculta, disse hoje o seu advogado.

Armando Vara tenta invalidar maioria das provas na ‘Operação Marquês’

A defesa do ex-ministro acredita que a imparcialidade do juiz Carlos Alexandre não ficou assegurada.
Recomendadas

PremiumJustiça investiga três dos candidatos do PSD a deputados na Assembleia da República

Em causa estão crimes de corrupção, abuso de poder e falsidade informática. Visados são obrigados a apresentar demissão, caso sejam condenados. Direção do PSD recusa “julgamentos em praça pública”.

Pardal Henriques reage à acusação da PGR: “Nunca fiz nenhuma burla e aguardo para ser notificado”

O porta-voz do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) afirma que em abril o Departamento de Investigação e Ação Penal “respondeu-nos que não existia queixa nenhuma”.
pedro-pardal-henriques

Pardal Henriques é alvo de inquérito judicial, confirma PGR

“Confirma-se a existência de um inquérito, o qual se encontra em investigação no DIAP de Lisboa”, diz a PGR numa resposta escrita à agência Lusa sobre a existência de uma investigação a Pardal Henriques.
Comentários