Arranca hoje a corrida do FC Porto pela Champions de olho em encaixe de 44 milhões

Sérgio Conceição e os seus homens estão a, pelo menos, 360 minutos de distância de poderem engordar a conta bancária dos azuis e brancos de forma generosa. Este encaixe financeiro é visto como fundamental pela SAD portista.

A partir das 18h (hora em Portugal Continental) desta quarta-feira, 7 de agosto, o FC Porto inicia a sua aventura na Liga dos Campeões frente aos russos do Krasnodar, num jogo a contar para a primeira mão da terceira eliminatória da prova, com os dragões a focarem-se nos 44 milhões de euros que poderão ser amealhados com a chegada à fase de grupos da liga milionária.

O primeiro passo é dado hoje, o segundo daqui a uma semanas. Só eliminando a equipa russa é que o clube da Invicta terá acesso ao play-off da Champions, onde no final de agosto encontrará os turcos do Basakesehir ou os gregos do Olympiakos, e só superando essa fase é que garante acesso à Champions e aos 44 milhões de euros.

Sérgio Conceição e os seus homens estão desta forma a, pelo menos, 360 minutos de distância de poderem engordar a conta bancária dos azuis e brancos de forma generosa. O encaixe financeiro que é visto como fundamental pela SAD portista.

Para a terceira pré-eliminatória, em teoria, os dragões partem em vantagem pela experiência que têm na prova, mas também pela qualidade da equipa. Ainda assim os bois – como é apelidado o Krasnodar – chegam ao dia de jogo com mais minutos nas pernas do que os dragões. O Krasnodar já conta com quatro jogos oficiais, dos quais venceram dois, empataram um e perderam outro.

Quanto ao emblema russo, que irá disputar a primeira mão da terceira pré-eliminatória em casa, apenas foi fundado em 2008, mas teve uma ascensão assinalável, que culminou no terceiro lugar na primeira liga da Rússia na temporada 2018/2019. A mesma época em que chegou aos oitavos de final da Liga Europa.

O foco está nos milhões
Para a atual temporada, a UEFA atribui 1.108 milhões de euros ao 32.º posicionado, entre os presentes, sendo que essa verba será multiplicada pela ordem inversa à tabela, com o primeiro classificado, o Real Madrid, a ter direito a 35,456. De acordo com o ranking da UEFA dos últimos dez anos, o FC Porto está na oitava posição (o Benfica é décimo).

Os clubes portugueses podem beneficiar do facto de os ingleses do Manchester United, no sexto lugar, e do Arsenal, nono lugar, não entrarem nestas contas, já que não estarão entre os 32 participantes na fase de grupos da Liga dos Campeões.

Caso o FC Porto chegue à fase de grupos, uma vitória valerá 2,7 milhões de euros e um empate 900 mil euros. Os remanescentes 900 mil euros de cada empate serão distribuídos no final pelas equipas em função das vitórias.

Quanto às equipas que cheguem aos oitavos de final da prova a UEFA tem 9,5 milhões de euros para dar. A qualificação para os quartos de final valem 10,5 milhões e as ‘meias’ 12 milhões de euros. A final, agendada para o dia 30 de Maio, em Istambul, Turquia, vale 15 milhões, com o vencedor a receber mais quatro milhões complementares.

Além destes valores, o FC Porto poderá ter acesso aos montantes relacionados com os direitos televisivos, caso chegue à fase de grupos.  A UEFA distribuirá um total de 292 milhões de euros pelos 32 clubes, em função do valor proporcional dos países. Se o FC Porto entrar na liga milionária, os valores relacionados com o chamado market pool relativos a Portugal serão divididos com o Benfica. Os dragões ficam com 40% e o Benfica com 60%. Caso o clube azul e branco não entre na prova, o Benfica fica com os 100% relativos ao montante relativo a Portugal.

Ler mais
Recomendadas

PremiumFC Porto chega ao clássico na Luz ensombrado pelo adeus à Champions

Derrota com o Krasnodar atirou o conjunto portista para “uma situação financeira muito complicada”, a que se juntou uma nova derrota na Liga. ‘Dragões’ chegam ao clássico mais pressionados, mas Sérgio Conceição “não parece” ter o lugar em risco.

“Brexit vai ter um impacto importante no golfe em Portugal”

Está calculado o impacto do Brexit no golfe em Portugal? Carlos Cortês, diretor do Conselho Nacional da Indústria do Golfe, considera que está preocupado porque o Brexit vai ter impacto na valorização da libra.

“Jonas? Só ter rendido dois milhões de euros é estranho”

Na última edição do Jogo Económico, João Marcelino analisou o facto de Jonas apenas ter rendido cerca de 2 milhões de euros ao longo da sua carreira.
Comentários