Assalto no Colombo em Lisboa: relógios de luxo rendem 100 mil euros

O assalto teve lugar esta tarde, numa altura em que o centro comercial se encontrava com centenas de pessoas. O assaltante partiu a montra à martelada.

Um assalto esta tarde no centro comercial Colombo em Lisboa rendeu 100 mil euros a dois assaltantes, segundo noticia o “Jornal de Notícias” e o “Correio da Manhã”. Um homem partiu uma montra de uma ourivesaria à martelada e roubou vários relógios de luxo no valor de milhares de euros.

Consumado o roubo, o homem fugiu em direção à saída do Colombo onde um cúmplice o aguardava numa moto para o ajudar na fuga. Apesar do centro se encontrar com centenas de pessoas, o homem entrou no Colombo, dirigiu-se à ourivesaria e partiu a montra usando um martelo.

De forma muito rápida, pegou em vários relógios avaliados em milhares de euros e fugiu. O homem nunca tirou da cabeça o capacete nem uma mochila igual à usada pelos estafetas para entregar comida. A PSP já está no terreno para localizar a dupla criminosa.

Recomendadas

Presidente da Câmara Municipal de Gaia e esposa vão a julgamento por peculato

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, e a esposa, vão a julgamento pelo crime de peculato por, alegadamente, usarem “como se fosse seu” um veículo elétrico do município.

“Maquiavel para Principiantes”. “Face àquilo que todos vimos, Eduardo Cabrita era o passageiro da vergonha”

“Face àquilo que todos vimos, Eduardo Cabrita era o passageiro da vergonha. O MAI é um ministério que tem muitos desafios, o ministro não fez tudo mal mas foi desastrado em alguns momentos. Cabrita respirava muita sobranceria na sua comunicação e pouca humanidade”, destacou Rui Calafate na edição desta semana do podcast do JE, que poderá ouvir esta terça no site, nas redes sociais e nas plataformas de streaming.

Tribunal da Relação condena três inspetores a nove anos de prisão no caso Ihor

O Tribunal da Relação de Lisboa condenou esta terça-feira os três inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) envolvidos na morte do cidadão ucraniano Ihor Homeniuk a uma pena de nove anos de prisão.
Comentários