Associação da Defesa dos Direitos Digitais apresenta queixa contra publicidade invasiva na Internet

A iniciativa não é exclusiva a Portugal, uma vez que decorre simultaneamente em seis países, com a apresentação de queixas por parte de diversas organizações respetivas à proteção de dados na Europa.

A Associação da Defesa dos Direitos Digitais, também conhecida como Associação D3, informou que apresentou uma queixa à Comissão Nacional de Proteção de Dados relativamente ao que consideram ser “práticas nocivas da indústria da publicidade comportamental”.

Através de um comunicado hoje divulgado, a D3 explica que “os sistemas de licitação em tempo real utilizados por esta indústria implicam a partilha de dados sensíveis de uma pessoa sem o seu consentimento, o que pode incluir o histórico de navegação pessoal com as suas preferências sexuais ou a sua localização recente, com centenas – se não milhares – de empresas na Internet”.

A iniciativa não é exclusiva a Portugal, uma vez que decorre simultaneamente em seis países, com a apresentação de queixas por parte de diversas organizações respetivas à proteção de dados na Europa. Ao todo, são 15 os países que se juntam nesta iniciativa – Bélgica, Bulgária, República Checa, Estónia, França, Alemanha, Hungria, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Polónia, Espanha, Eslovénia, Países Baixos e Reino Unido.

O consórcio apela a todas as autoridades nacionais de proteção de dados interessadas para que considerem a questão da licitação em tempo real em uníssono, e para que se juntem à investigação conduzida pelas autoridades de controlo principais na Irlanda e na Bélgica.

Embora algumas das queixas de 2018 e 2019 tenham sido remetidas para as autoridades líderes, o consórcio informou que “não tem conhecimento de qualquer cooperação significativa ou operações conjuntas entre as autoridades nacionais e as autoridades líderes. Isto sugere que os mecanismos de cooperação e coerência previstos no RGPD ainda não foram plenamente implementados. É necessária uma investigação conjunta, uma vez que a licitação em tempo real funciona da mesma forma além-fronteiras e produz os mesmos efeitos negativos em todos os estados membros da U.E”.

Recomendadas

Primeira toma das vacinas nos lares vai ficar concluída até ao final da próxima semana, garante António Costa

Excluídos desta primeira fase da vacinação nos lares, estão as residencias onde existem surtos de Covid-19. Lares ilegais estão incluídos na aceleração do processo de vacinação aos idosos e utentes destes estabelecimentos.

Epidemiologista prevê 17 mil novos casos e 200 mortes diárias por Covid-19 até 24 de janeiro

Os cálculos foram feitos com base numa desaceleração que se assistiu em março. Caso esse abrandamento não se verifique, o epidemiologista afirma que os casos diários poderão chegar aos 17 mil por dia em Portugal.

Associação sindical pede ao Governo que ensino passe a funcionar em regime não presencial

Associação Sindical de Professores Licenciados defende que durante o confinamento geral do país, as escolas se mantenham abertas apenas para os alunos cujos pais pertencem a serviços essenciais ou para quem não têm condições para continuar o ensino em casa.
Comentários