Associação Lisbonense de Proprietários considera “irresponsáveis” declarações de Fernando Medina

Em comunicado, a entidade condena o artigo de opinião do presidente da Câmara de Lisboa, no qual revela que pretende acabar com os alojamentos locais. “Alojamento turístico de curta duração foi o motor da reabilitação urbana em Lisboa”, lembra a ALP.

A Associação Lisbonense de Proprietários (ALP) “repudia” e classifica de “irresponsáveis” as declarações do Presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, no artigo de opinião publicado jornal britânico “The Independent”.

Fernando Medina revela que pretende o fim dos alojamentos locais em Lisboa, após a pandemia da Covid-19, defendendo a sua reconversão em habitação para trabalhadores essenciais, como profissionais de saúde.

“O alojamento turístico de curta duração foi o motor da reabilitação urbana em Lisboa, cujo parque habitacional estava apodrecido e desertificado devido a um século de congelamento de rendas”, refere a ALP.

A entidade realça ainda que “muitos dos investimentos de reabilitação urbana canalizados para o alojamento local foram realizados por pequenos proprietários nacionais e constituem integralmente o seu rendimento disponível”, sendo que “muitos destes investimentos estão ainda longe de estar amortizados”.

“Foi também graças ao alojamento local que milhares de postos de trabalho diretos e indiretos foram criados na cidade”, frisa a associação, acrescentando que foi devido à grande procura de imóveis na cidade de Lisboa, que a autarquia liderada por Fernando Medina beneficiou ainda de “receitas fiscais históricas em sede de IMT – Imposto Municipal sobre as Transmissões e IMI – Imposto Municipal sobre Imóveis”.

A finalizar a associação liderada por Luis Menezes Leitão relembra que o município de Lisboa é o maior proprietário imobiliário da cidade de Lisboa. “A Câmara de Lisboa detém mais de 3 mil imóveis devolutos na capital. É neste parque habitacional abandonado que devem necessariamente começar as prioridades políticas de habitação municipal acessível do Presidente da Câmara de Lisboa”.

Relacionadas

Fernando Medina quer transformar Airbnb em arrendamento para devolver Lisboa aos trabalhadores

Um terço de Lisboa é ocupado por habitações de arrendamento de curto prazo para turistas. Autarca quer colocá-las em arrendamento a longo prazo para trazer de volta os trabalhadores e famílias para a cidade.
Recomendadas

Imobiliário: tecnologia “abre a porta” a investimentos nacionais e estrangeiros

A tecnologia está a transformar de forma profunda a gestão das transações e o fecho das operações deste sector, numa tendência que já se verificava e que se intensificou com a pandemia e o incremento das soluções tecnológicas, exemplifica Ricardo Sousa, CEO da Century 21 Portugal.

DST executa projeto no Porto Business Plaza numa empreitada de 3,8 milhões

Em comunicado a o grupo DST, diz que a sua subsidiária DTE, “empresa de instalações especiais do dstgroup, está a concluir os trabalhos no Porto Business Plaza, correspondente à reabilitação e reconversão do antigo Central Shopping, no centro do Porto, através da execução do projeto de AVAC e instalações especiais”.

Belas Clube de Campo. Clientes estrangeiros pesam 60% das vendas

Das vendas feitas no empreendimento ‘Lisbon Green Valley’, 60% dizem respeito a clientes do mercado estrangeiro. Com as alterações aos vistos gold no início de 2022, a promotora criou um conjunto de soluções para captar este tipo de investidores.
Comentários